10 coisas que pessoas com fibromialgia devem evitar

A fibromialgia é uma doença crónica caracterizada por queixas de dores neuromusculares difusas e pela presença de zonas dolorosas em regiões anatomicamente determinadas. Adicionalmente, manifestações como fadiga, distúrbios emocionais e perturbações do sono e gastrointestinais, são igualmente comuns nestes pacientes. Conheça os 10 erros que nunca devem ser cometidos por quem sofre desta doença, de modo a não a agravar.

Permanecer muito tempo na mesma posição
Indivíduos com fibromialgia devem evitar permanecer longos períodos de tempo na mesma posição, seja sentado, deitado ou de pé. É este o motivo pelo qual as pessoas afetadas por tal doença tendem a sentir-se piores ao acordar, uma vez que ficaram deitadas na mesma posição durante horas. Quando o corpo não se movimenta, os músculos tendem a ficar mais rígidos, causando dores adicionais. Assim, atividades aparentemente inofensivas como, por exemplo, estar no computador ou lavar a loiça, devem ser cronometradas para evitar distrações que podem, mais tarde, implicar dores profundas.

Água fria
Aqueles que sofrem de fibromialgia não devem mergulhar qualquer parte do seu corpo em água cuja temperatura seja inferior a 30 graus. A resposta a baixas temperaturas costuma ser imediata e dolorosa mas, em alguns casos, a sensação de desconforto surge apenas algumas horas após a exposição a água fria. Além disso, a água quente é particularmente indicada porque ajuda a aliviar dores musculares e ósseas.

Movimentos repetitivos
Utilizar repetidamente os mesmos grupos musculares contribui para uma rápida escalada da dor. Assim, atividades que exijam repetição prolongada de certos movimentos devem ser evitadas ou interrompidas por pausas frequentes. Um estudo canadiano recente demonstrou que, quando submetidos à tarefa de levantar e pousar 18 latas, doentes com fibromialgia reportaram dores mais intensas do que pacientes com dores de costas crónicas.

Saltos altos
Apesar de esteticamente apelativos, os saltos altos vertiginosos são medicamente desaconselhados a todas as mulheres. Não obstante, a maioria ignora os potenciais perigos deste acessório em nome da beleza. Está cientificamente provado que a utilização prolongada de saltos altos pode provocar problemas graves nos pés, joelhos e postura corporal. Assim sendo, não é difícil entender que sejam totalmente proibidos a mulheres que sofram de fibromialgia. Em fases avançadas da doença, a maioria refere que o seu uso é totalmente insuportável.

Roupa justa
Pessoas com fibromialgia devem usar roupa leve, solta, e que não constrinja os movimentos. Os soutiens, por serem justos ao peito e terem armação, são normalmente uma das principais fontes de queixa por parte das mulheres que sofrem desta doença, sendo que os modelos desportivos são os ideais. As restantes peças de vestuário devem ser fáceis de vestir e despir, e os tecidos sintéticos devem, sempre que possível, ser preteridos em nome de materiais naturais como lã ou algodão.

Pressa
Situações em que indivíduos com fibromialgia sejam forçados a apressar-se devem ser evitadas a todo o custo. A adrenalina que resulta de circunstâncias deste género pode aumentar os níveis de fadiga, exaustão, dor e stress. Neste sentido, é necessário realizar todas as tarefas com tempo, pelo que levantar mais cedo e planear/preparar cuidadosamente tudo o que deve ser feito são bons conselhos. Pausas para descansar são também uma boa opção.

Aspártamo
Trata-se de um açúcar artificial utilizado para adoçar os mais variados produtos: refrigerantes, iogurtes, sobremesas, e outras comidas em que o objetivo é não adicionar calorias. Vários estudos reportam casos de doentes com fibromialgia que, ao descontinuarem o consumo de aspártamo, verificaram melhorias significativas.

Cafeína
Por vezes, pode ser tentador combater um dos principais sintomas da fibromialgia – a fadiga – com uma boa dose de café ou Coca-Cola, mas a cafeína pode interferir com os padrões de sono, e uma noite bem dormida é um dos principais fatores responsáveis pela minimização das dores provocadas pela doença. Um estudo norueguês publicado no jornal científico Arthritis & Rheumatism sugere que os distúrbios de sono desempenham um papel prejudicial no desenvolvimento da fibromialgia. Para aqueles que não dispensam as bebidas com cafeína, o mais indicado é consumi-las durante as primeiras horas do dia.

Glúten
A doença celíaca, uma intolerância ao glúten, encontrado em trigo, cevada e centeio, é uma condição que pode, em alguns casos, agravar a fibromialgia. Em caso de diagnóstico desta intolerância, devem ser eliminados da dieta produtos como: massa, pão e cereais. Todos eles são passíveis de ser substituídos por alternativas à base de arroz e milho. É importante ter em conta que muitos molhos, marinadas e doces contêm glúten. Indivíduos com fibromialgia devem considerar eliminar um produto de cada vez e manter um diário para anotar quaisquer melhorias verificadas. Desse modo, será possível apurar quais os produtos que mais negativamente afetam os sintomas da fibromialgia.

Glutamato monossódico e nitrito de sódio
Estas substâncias são utilizadas como conservantes e aromatizantes em muitas comidas processadas, como comidas curadas e molhos. Tais alimentos possuem muito sal, que pode agravar a dor ou inchaço em alguns pacientes com fibromialgia. De modo a minimizar o impacto destas substâncias na fibromialgia, dever-se-á evitar comidas pré-preparadas sempre que possível, e apostar em alimentos como lentilhas, arroz integral e peixe.

Fonte indicada: Adoeci

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS