15 dicas para uma vida menos estressante

1 – Faça pausas entre as tarefas. Não importa se você está estudando, trabalhando fora de casa ou em casa. Tente fazer pausas de, pelo menos, 10 minutos a cada 2 horas. Aproveite esse tempo para lavar o rosto, alongar-se, beber água, ou simplesmente esvaziar a mente.

2 – Aprenda a dizer NÃO. Tente vencer a culpa por negar-se a alguma coisa, entenda que não dá para ser bonzinho o tempo todo. Querer agradar a todos é um desgaste enorme que só gera sobrecarga, tensão e frustração.

3 – Planeje seu dia. Tente agendar os compromisso considerando o tempo de deslocamento entre uma atividade e outra. Não adianta marcar o médico 1 hora antes do trabalho se só o deslocamento entre um e outro dura em média 30 minutos. Além disso, deixe uma margem de tempo para contratempos. A maioria das coisas que fazemos não depende só da gente e achar, portanto, que podemos controlar tudo o tempo todo é garantia de sobrecarga física e emocional. 

4 – Concentre-se em apenas uma tarefa de cada vez. Tente vencer a tendência a estar num lugar pensando em outro, fazendo uma coisa e preocupado com outra. Quando não nos concentramos no que fazemos não aproveitamos o melhor da nossa capacidade física, mental e emocional para o desempenho da tarefa, seja ela de trabalho ou lazer. Desperdício de tempo e sentimento de incapacidade é o que você ganha.

5 – Entenda: ninguém é insubstituível ou imprescindível! Seja na família, no trabalho, entre os amigos, as pessoas podem se virar sem você! O mundo não vai acabar se você não puder fazer alguma coisa ou estar em algum lugar. Por mais que as pessoas apreciem o que você faz e te amem elas se viram muito bem sem você. Não acredita? Experimente não querer dar conta de tudo.

6 – Priorize-se! É muito legal levar satisfação, alegria e contentamento a outras pessoas. Se ajudar aos outros e alegrá-los significa passar por cima dos seus sentimentos ou a anulação das suas necessidades, esqueça! Ao colocar-se em segundo plano você se frustra, se sente usado e explorado, o que gera muitas emoções negativas associadas ao stress.

7 – Peça ajuda sempre que necessário. Na média, as pessoas estressadas têm muita dificuldade de pedir ajuda, de delegar tarefas e de transferir responsabilidades. Sendo assim, tendem a se sobrecarregar física e emocionalmente. Quando for pedir ajuda, lembre-se, avalie quem é a pessoa com mais condição de ajudar numa determinada situação. As pessoas são diferentes e, em função disso, podem oferecer ajuda de diferentes tipos.

8 – Aprenda a diferenciar problemas reais de problemas imaginários. Evite alimentar problemas que não ocorreram e que só existem na sua cabeça. Não gaste energia com um problema que ainda não se concretizou, se você fizer isso vai faltar disposição para enfrentar os problemas reais.

9 – Descubra o prazer no dia-a-dia: dormir, comer, tomar banho, apreciar o sol, olhar a paisagem, estar com as pessoas que amamos… Coisas muito simples podem oferecer um grande alívio para as atribulações cotidianas. Aprenda a valorizar o que você tem, isso nos dá força e confiança para lutarmos pelo que ainda não conquistamos.

10 – Escolha suas batalhas. Algumas brigas valem a pena, outras não. Envolver-se em picuinhas, fofocas e “bate-boca” que nada acrescentam à sua vida é um desperdício de tempo e energia. Quando damos atenção demais a coisas pequenas aumentamos desnecessariamente o nosso nível de stress.

12 – Disponha-se para a mudança. Apegar-se a verdades pré-estabelecidas, resistindo ao novo apenas por medo ou desconfiança, pode nos levar a bater a cabeça sem necessidade. Às vezes é necessário soltar, deixar ir os velhos hábitos e opiniões, caso contrário podemos perder a oportunidade de aprender novas formas de viver melhor.

13 – Tenha amigos:  não precisa ser em grande quantidade, mas é importante ter alguém em quem confiamos para conversar, desabafar… Chorar no ombro. E também para compartilhar sonhos, rir junto e comemorar as conquistas.

14 – Competir é bom, ganhar melhor ainda! Mas saber a hora de se retirar de cena, aceitando que não se pode ganhar todas, preserva a saúde física e mental. Além do mais, aceitar que não somos os melhores em tudo é uma ótima oportunidade para buscarmos o aperfeiçoamento. Aprender, sentir que melhoramos, é um ótimo alívio para o stress.

15 – Cuide do seu corpo: é nele que o stress se manifesta primeiro por meio de dores musculares, insônia, prolemas com o apetite, dificuldades gastrointestinais, etc. Exercite-se regularmente, qualquer atividade é válida, desde que você tenha prazer com ela, pode ser dançar, malhar, nadar… Alimente-se com prazer e equilíbrio. Quanto mais diversificada for sua alimentação mais o seu corpo e mente agradecem. Durma! Durma o suficiente para sentir-se descansado e, de preferência, num ambiente calmo. Retire do quarto aparelhos eletrônicos, apague a luz e descanse. O sono é o momento em que corpo e mente se recuperam da sobrecarga diária de informações, emoções e atividades. Divirta-se! Uma mente carrancuda, triste e mau-humorada é um convite ao stress.

Compartilhar
Angelita Corrêa Scardua
Psicóloga, Mestre e Doutoranda pela USP (SP). Especializada em Desenvolvimento de adultos, na experiência de Felicidade e nos estudos da Psicologia Social.



COMENTÁRIOS