7 dúvidas sobre “Sexo na gravidez”

A gravidez é um momento recheado de mudanças físicas e psicológicas, gerando dúvidas não só na mamãe, mas também no papai. Diante das mudanças que irão ocorrer neste período, é importante não deixar de lado a vida sexual.
Muitas dúvidas e medos referente ao sexo na gravidez irão surgir. Afinal, o sexo pode machucar o bebê? O desejo diminuiu? É seguro? Calma! Vamos esclarecer as questões mais frequentes. Lembre-se que carinho, amor, paciência e diálogo são fundamentais na vida do casal.
É seguro e liberado o sexo durante a gravidez?
Caso a gravidez esteja no seu percurso normal, sim! O sexo é seguro, liberado e até mesmo recomendado. Isso ajuda a manter um vínculo afetivo do casal e a cumplicidade. Restringir o sexo sem motivo no percurso desses nove meses pode acabar limitando o relacionamento. Por isso, é sempre importante tirar suas dúvidas para acabar com qualquer neura.
Com a gestação a libido aumenta ou diminui?
Há várias fases durante a gestação devido as mudanças hormonais. Nos três primeiros meses, com as náuseas, enjoos e o sono, é normal sentir uma diminuição no desejo sexual. Outro ponto é o risco do aborto espontâneo neste período, sendo um mito o fato do sexo favorecer esta perda. Porém, sempre converse com o seu ginecologista.
A libido vai aumentar após o terceiro mês até o sexto mês, pois os desconfortos diminuem, a disposição e a auto estima melhoram. É nesta fase que o cabelo fica mais bonito, os seios aumentam por causa do leite, e o bebê vai começando a mexer aumentando assim a confiança de que ele está bem. Ocorre uma adaptação as mudanças da gravidez.
Os meses finais da gravidez, assim como no início, também são marcados pelo cansaço físico, desconforto e ansiedade, diminuindo o desejo sexual. É importante sempre dialogar com seu parceiro durante todos os períodos da gestação.
O sexo pode machucar o bebê?
Não. O bebê é protegido por uma bolsa de líquido amniótico que fica na cavidade intrauterina. Entre esta cavidade até o canal da vagina existe o colo uterino. Portanto, é impossível haver um contato com o bebê.
Ter orgasmo pode estimular o parto?
Devido as contrações de “Braxton Hicks”, as mulheres podem achar que o sexo fez mal. No entanto, tais contrações são frequentes após fazerem algum exercício. Se a gravidez não for de risco não tem nenhum problema em ter orgasmos.


O que restringe a vida sexual?
O primeiro sinal é o sangramento. Porém, vários outros fatores podem restringir, como por exemplo a rotura de bolsa, incompetência istmo cervical (o colo fica aberto), descolamento da placenta, entre outros. Caso tiver restrições é sempre importante lembrar que sexo não é só penetração. Caricias, masturbação, sexo oral, jogos eróticos e atenção podem ser ótimas alternativas.
É possível se sentir sexy?
Muitas mulheres se incomodam com o ganho de peso e as mudanças que a gravidez trás. Neste momento é importante lembrar que esta passando por um período transitório para gerar uma vida, ou seja, incorporar esta nova identidade.
E o pós-parto?
Este é um momento delicado, pois devido ao hormônio que produz leite geralmente a lubrificação vaginal é menor, o que pode causar desconforto na mulher. Portanto, é importante o parceiro sempre respeitar os limites da mulher. De forma geral, as relações sexuais são liberadas depois de cinco semanas da data do nascimento do bebê, mas isso depende de como foi o parto e o pós-operatório. Vale frisar que o casal deve sempre procurar o ginecologista para sanar todas as dúvidas em relação ao sexo na gravidez. Cumplicidade e entendimento com os sentimentos numa relação é sempre essencial, principalmente neste momento da vida. Lembrando que a preparação psicológica também é fundamental para o casal.

Compartilhar
Jenifer Longo
Jenifer Longo é Psicóloga Clínica e Especialista em Psicologia Organizacional.



COMENTÁRIOS