Muitas vezes é difícil reconhecer o machismo. Frequentemente ele é camuflado através de comportamentos que parecem inofensivos. A própria cultura o alimenta e o transmite em pequenas doses diárias. Mas essas pequenas doses, em conjunto, formam uma visão de mundo que continua atribuindo um papel questionável para as mulheres.

Nenhum setor da vida cotidiana está a salvo do machismo. É uma conduta tão arraigada que é transmitida e retransmitida inconscientemente. As mulheres enfrentam insinuações diárias ou atitudes de discriminação que, muitas vezes, passam despercebidas, mas que as agridem profundamente.

“-Então, por que lhes pagam menos? -Isto é óbvio, meu rapaz -disse o padeiro encolhendo os ombros. -Elas são mulheres”. 
 – Juan Gomez Jurado –

Embora as mulheres tenham alcançado direitos que anteriormente não tinham, ainda falta muito. Sabe-se, por exemplo, que geralmente ganham salários mais baixos e que, em muitos postos de trabalho, precisam provar uma competência fora do comum para conseguirem promoções.

A rua também é um desses cenários onde muitas vezes se trava uma batalha entre os sexos. Há cidades no mundo que deveriam implementar transportes públicos exclusivamente feminino para proteger as mulheres. Em pleno século XXI é, no mínimo, preocupante. Existem também outras formas de machismo cotidiano que vale a pena examinar e sobre as quais precisamos refletir.

1. O machismo na frase: “você precisa de um namorado”

Esta frase tem a ver com o seu humor. Se você está muito triste, não importa o motivo. A conclusão é que você precisa de um homem ao seu lado. A cultura machista acredita que as mulheres ficam insuportáveis quando não têm um homem ao seu lado. Então, se você está preocupada, tensa ou estressada, lhe dirão: “O que você precisa é de um namorado”.

 

Esta frase, na verdade, contém um componente muito agressivo. Apresenta a mulher como um ser incompleto e conclui que o masculino é tudo que ela precisa para ficar bem. Esta é uma daquelas fórmulas que são baseadas na ideia de que a mulher é o “sexo frágil” e que precisa de um homem para ser feliz.

2. Você precisa cuidar da sua aparência, senão quem vai notar você?

Você deve estar sempre arrumada, ter um corpo harmonioso, boa aparência. Caso contrário, estará condenada à invisibilidade, em outras palavras, à inexistência. A beleza física é o único atributo que dá uma presença social para as mulheres.

O problema é que este tipo de afirmações escondem uma ameaça muito agressiva que passa despercebida. Associam o papel social das mulheres com a sedução, abalam a sua segurança e autoestima. E reafirmam a ideia de que as mulheres existem para o prazer do homem, e não para qualquer outra finalidade.

“O papel social das mulheres está confinado à sedução”.

3. O dia que você se casar…

É uma frase que os pais, e especialmente as mães, repetem incansavelmente para suas filhas em determinadas culturas. Eles falam sobre “O dia que você se casar …” como se fosse o seu destino final. No fundo, o que eles estão dizendo é que o seu projeto de vida deve ter como objetivo o casamento e ser uma boa esposa para algum homem.

A mulher já alcançou um lugar importante na ciência, política e cultura, no entanto, é realmente muito comum ouvir essas frases em alguns lares. Talvez pensem que as outras mulheres possam alcançar posições de destaque, mas a sua filha ou irmã, não.

4. Você deveria ser mais feminina

A atribuição dos papéis de gênero é uma questão cultural. Não existe nenhuma lei biológica que indique que um homem não pode ser sensível, ou que uma mulher não pode ser rude. Simplesmente, as culturas distribuíram as características desta forma. Talvez para evitar que as mulheres se revoltem e enfrentem o homem.

Esse “deveria ser mais feminina” é um alerta para as mulheres suavizarem seus modos e, ao mesmo tempo, é também um convite para não questionar o seu papel, para se adaptar passivamente ao que a cultura lhe impõe. Ao mesmo tempo, definem implicitamente as maneiras que são consideradas “impróprias” nos homens.

5. Os elogios na rua

É uma situação muito desconfortável ter que aturar certas frases que ouvimos na rua. E mais do que desconfortável, é uma situação que pode representar um risco para as mulheres. Mas muitos homens se sentem com esse direito, poucos aceitam que é uma agressão injustificada.

Podem lhe dizer que você parece um anjo, que é muito bonita e, até mesmo recitar um poema. No entanto, é um abuso que você não teria que suportar. As mulheres que criticam estas práticas são chamadas de “feministas” ou “amarguradas”.

6. Não seja puritana ou não seja “tão fácil”

A mensagem da cultura machista é: seja bonita, seja simpática, comporte-se de forma sedutora, mas não exagere. Não mostre mais do que deve para não parecer uma mulher fácil. O segredo está em mostrar-se desejável e, ao mesmo tempo, difícil de alcançar.

Seja recatada acima de tudo, apenas algumas insinuações e nada mais. O restante é feito pelo homem. Ele é responsável pela sua conquista e você por aceitar depois de um tempo. Nunca tome a iniciativa. Se agir dessa forma, deixará de ser uma mulher interessante. Uma troca de olhares e ser sempre agradável garantem que ele a ache interessante.

Com este tipo de afirmações a ideia da “mulher-objeto” é reforçada. A mulher se tornaria um prêmio para o homem, a presa para a qual dirige os seus ataques. Em geral, uma mulher que toma a iniciativa amorosa ou assume a sua vida sexual é vista como uma ameaça.

7. Não seja tão ingênua: o amor é um sonho romântico das mulheres

O machismo adverte que o amor é inatingível. Só acontece nos contos de fadas. Você não é uma princesa, mas uma simples mortal que vive de sonhos e ilusões. Os homens não podem ser românticos e, portanto, você não tem o direito de esperar que eles sejam. O amor “feminino” é simplesmente ingênuo.

Dizem que a realidade é muito diferente. Você tem que se contentar com o que a vida lhe deu. Se ficar esperando o seu “príncipe encantado”, terminará sozinha para sempre. Agarre o primeiro homem que encontrar ou ele pode escapar. É preferível ter um homem na mão, do que se arrepender depois.

Todas estas formas de micromachismo causam sofrimento, não somente para as mulheres, mas também para os homens. Ninguém fica bem em “camisas de força”. Cada pessoa é única e as diferenças entre os gêneros nem sempre são tão óbvias. É hora de abrir a consciência e erradicar para sempre essas fórmulas estabelecidas pela sociedade.

Imagem de capa: Shutterstock/Aliaksei Smalenski

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE E MARAVILHOSA

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS