O termo resiliência tem uma raiz etimológica muito interessante: vem do latim resiliens, que significa voltar atrás, voltar de um salto, ressaltar ou ricochetear.

Por outro lado, sempre é bom se lembrar que esta palavra tem sua origem no mundo da física, onde faz referência a materiais que têm a propriedade natural de se dobrar sem se quebrar para voltar a sua forma original.

Pensemos, por exemplo, em um arco. Em como o dobramos para impulsionar a flecha e como, aos poucos, volta ao seu estado anterior.

Por outro lado, é importante destacar que a palavra resiliência, esta dimensão que agora tanto nos inspira no dia a dia, foi popularizada pelo neurologista, etólogo e psicanalista Boris Cyrulnik, conhecido principalmente por seu livro “Os patinhos feitos”.

Estamos, sem dúvidas, diante de uma estratégia essencial que vai muito além do simples crescimento pessoal: é uma ferramenta de vida, é aquele trampolim que deve nos levantar em cada momento de fraqueza, em cada desânimo e, sobretudo, em cada adversidade.

A seguir oferecemos 8 dicas para que você comece a aprofundar e a potencializar muito mais esta dimensão que todos temos. Basta trabalharmos para despertá-la e fortalecê-la.

1. Sinta suas emoções

Não inibia seus medos, suas frustrações, não esconda sua tristeza ou sua raiva: canalize todas estas emoções fazendo-as presentes primeiro e entendendo-as depois.

Trata-se de encontrar aquele ponto intermediário onde não se deve permitir que elas nos controlem nem nos obriguem a escondê-las.

Para nos conhecermos, para potencializarmos nossa resiliência no dia a dia, é necessário nos convertermos em adequados gestores de nosso vasto e às vezes complexo universo emocional.

2. Lembre-se daquele momento do passado em que você enfrentou uma adversidade

Todos, ao longo de nosso ciclo vital, fomos heróis da adversidade, saímos triunfantes de um momento complexo, de uma decepção, de uma encruzilhada, de um abandono, de uma doença ou um contratempo.

Quase sem saber como, conseguimos. De nosso interior surgiu uma força inesperada que tornou fácil o difícil, que nos trouxe recursos pessoais que não sabíamos que tínhamos.

Tenha em mente estes momentos de seu passado no qual saiu vitorioso: são sua inspiração para o aqui e agora.

3. Sair para caminhar todos os dias

Pode parecer muito simples, e pode ser que muitos não compreendam qual relação a caminhada tem com a resiliência.

O exercício suave, mas constante, gera mudanças boas em nosso cérebro: libera endorfinas, nos traz calma, nos ajuda a nos situar na realidade, a oxigenar o cérebro, a reduzir o nível de cortisol no sangue…

Esse equilíbrio interno melhora nossas emoções e nos permite também aprender a sermos mais resistentes, assim como mais flexíveis.

4. Cultivar relações positivas

Ter alguém com quem falar, alguém de nossa confiança para compartilhar as preocupações, que nos permita abrir nosso coração nos entendendo e respeitando é, sem dúvidas, uma ajuda mágica no dia a dia.

Este apoio emocional cotidiano é uma raiz de poder que alimentará nossa capacidade de ser resilientes.

5. Ter um dia dedicado apenas a nós mesmos

Desfrutar um dia só para nós ou algumas horas em nossos dias para podermos nos conectar com nós mesmos, com nossos pensamentos e necessidades, é outra estratégia básica para administrar nosso mundo interior. Os espaços pessoais, privados e aqueles cantos que somente pertencem a nós mesmos também são pedaços de saúde que devemos nutrir de forma regular.

6. Fazer coisas que são significativas, que trazem algo para nós e importam

Existem momentos em que, quando passamos por uma dificuldade, o simples fato de fazer algo de que gostamos, que nos identifica ou que nos define, é uma forma de canalizar o estresse e de usar a resiliência.

Se gostamos de nosso trabalho, se temos um hobby muito relevante, é importante voltar a eles nesse momento no qual nos sentimos meio deprimidos ou na sombra do desânimo.

Por mais curioso que pareça, as rotinas, em certos casos, agem como motores vitais que nos empurram para avançar, para seguir em frente.

7. Escreva, use um diário para potencializar sua resiliência

Em nosso blog já falamos em algum momento sobre os benefícios de manter um diário pessoal.

É um modo muito terapêutico de desabafar emoções, ordenar ideias, iniciar projetos, tomar decisões, clarear a mente, refletir e encontrar aquela valorizada intimidade com nós mesmos.

8. Sinta seus pés em contato com a terra

Esta imagem tão metafórica de “ter os pés na terra”, na verdade, nos transmite uma série de ideias básicas sobre as quais refletir:

  • Tenha raízes que te nutrem, que te permitam ser forte de novo: sua autoestima, sua história pessoal, as pessoas que gostam de você.
  • Mantenha-se em equilíbrio em todos os momentos, forte mas flexível como o bambu, em contato com aquilo que te alimenta e te inspira, com aquele substrato emocional que te reconforta.
  • Você faz parte de um todo, é como uma árvore num bosque e, como as árvores, suas raízes se tornam mais fortes nas tormentas.

Não hesite em aplicar todas estas estratégias e reflexões no dia a dia para potencializar sua resiliência.

TEXTO ORIGINAL DE MELHOR COM SAÚDE

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil

Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.


COMENTÁRIOS