A importância dos contos de fadas na infância

Muitos educadores e pais têm apresentado preocupação em relação ao fato de os contos de fadas apresentarem um mundo irreal, fantasioso e distante de nossa realidade, apresentando soluções quase que mágicas para os eventos da vida. Frases como “Era uma vez” e “Foram felizes para sempre” são bastante empregadas nos contos de fadas trazendo a ideia de algo que aconteceu em um tempo bastante remoto, com pessoas que, embora tenham encontrado muitos desafios pela frente, venceram e foram felizes.

Os contos de fadas conversam com a realidade interna da criança, atingindo diretamente as emoções básicas universais, como amor, ódio, medo, raiva, solidão, abandono, rejeição. Existe algo de mágico na forma como o conto de fadas se desenrola, proporcionando um fluxo dentro e fora da mente e do coração daquele que ouve.

Fundamental para o desenvolvimento da criança, uma vez que oferece acolhimento, conforto, esperança, resolução de conflitos e vazão para seus sentimentos e fantasias mais profundos, os contos de fadas enviam às crianças a mensagem de que as batalhas de nossas vidas são inevitáveis, mas que se a pessoa não se intimida e firmemente segue ao encontro das adversidades, os obstáculos são vencidos, e a pessoa emerge vitoriosa.

É o que acontece com os heróis dos contos de fadas. Quase sempre há uma floresta desconhecida e misteriosa que precisam adentrar, assim como é o processo do autoconhecimento, doloroso, porém necessário. O herói transpõe desafios, enfrenta grandes aventuras, vivencia o medo, luta com as armas que possui e, no final, emerge vitorioso. Desta maneira, muito significado psicológico tem sido atribuído aos contos de fadas. Independentemente de se concordar ou não com tais interpretações, os contos de fadas exercem grande atração e possuem muito valor para os pequenos.

A criança precisa receber particularmente sugestões em forma simbólica sobre como lidar com assuntos complexos e crescer em segurança até atingir a maturidade. Em João e Maria, por exemplo, temos dois irmãos que, após serem abandonados na floresta, precisam conquistar a individualidade e enfrentar os obstáculos para que enfim possam retornar à casa de seus pais e serem felizes. Em A Bela Adormecida, muitas questões intrínsecas à adolescência são exploradas de forma sútil e simbólica, o que faz com que a criança entenda a partir dos recursos que possui e se sinta compreendida.

Os contos de fadas são únicos e insubstituíveis, assim, a criança extrairá um sentido diferente do mesmo conto, dependendo de seus interesses e necessidades do momento. Se tiver oportunidade, voltará ao mesmo conto quanto estiver pronta a ampliar significados ou substitui-los por novos. O sentido mais profundo dos contos de fadas será diferente para cada pessoa, e diferente para a mesma pessoa em momentos diferentes de vida.

Compartilhar
Thaisa Fér Scandiuzzi
Psicóloga de crianças e adolescentes em Ribeirão Preto/São Carlos - SP. Formada pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Pós Graduanda em Psicopedagogia Clínica e Institucional, com ênfase em desenvolvimento infantil.



COMENTÁRIOS