A Influência dos pais na escolha da profissão

O momento da escolha profissional é um momento de grande conflito entre os jovens.  O crescente número de opções de profissões, a grande expectativa dos jovens e de quem os rodeia são fatores que dificultam ainda mais para muitos essa escolha.

Além desses outros fatores influem na escolha de uma profissão, como por exemplo, as características e predisposições individuais, convicções religiosas, valores e crenças, situação econômica, a influência da família e dos pais.

Antes mesmo que seus filhos nascessem, muitos pais já sonham com a profissão deles, fazem economias e planos para o futuro sonhado. Muitos desejam e impõem que os filhos sigam a mesma profissão que eles ou outra que sonhavam para si. Porem muitas vezes o desejo dos pais não são os mesmos que o do filho ou os filhos não tem as aptidões necessárias para executar aquela profissão. O que configura um grande conflito para as famílias.

Este é um alerta importante a ser feito, muitas vezes, o que os pais querem para seus filhos nada tem a ver com o que os jovens querem, mas o que os pais queriam para eles mesmos e acabam projetando nos filhos o que queriam que fosse a sua realidade, sem perguntar ou questionar o que os filhos queriam para si. Os filhos não devem ser a fonte de realização de sonhos dos pais, mas sim a fonte de realização dos próprios sonhos.

Por outro lado, os pais podem ser as pessoas que mais conhecem seus filhos. Sabem quais são as suas limitações e habilidades, e podem ser ótimos parceiros na hora da escolha. Pais participativos fazem grande diferença em toda a vida de seus filhos.

O dialogo pode ser uma grande ferramenta nessa fase. Onde os pais podem ser como “consultores”, mostrando os pros e contras das profissões, as possibilidades, o mercado de trabalho e incentivando-o, sem imposições, permitindo que tenham uma escolha segura e confortável.

Há uma maior chance de conquistar a satisfação profissional quando escolhemos o que gostamos, do que quando fazemos algo imposto que não gostaríamos. O sucesso profissional pouco tem a ver com quanto de dinheiro você recebe, mas em relação com quão feliz você é em realizar sua atividade, em ser o profissional que é.

Como dito, a resposta da pergunta “o que você vai ser quando crescer?” pode não ser tão simples para muitos. Então pode ser interessante procurar um psicólogo que, através de métodos e testes, pode ajudar nessa escolha através do processo de orientação profissional.

Compartilhar
Carolline Lopes
Carolline Lopes recém formada em psicologia (CRP 05/ 50327), pós-graduanda em MBA Executivo em Coaching pela Universidade Candido Mendes e Instituto Pro-Minas. Escritora em um blog com seu nome. Apresentou diversos trabalhos em congressos nacionais com temas relacionados a psicologia da saúde e Jurídica. A partir da pôs graduação tem explorado a temática da orientação profissional



COMENTÁRIOS