A presença dos pais na vida escolar dos filhos

Por Verônica Barban Isaac Botelho

Atualmente as preocupações diárias são diversas e fica difícil para os pais conciliarem todas as suas atividades, principalmente trabalho e família.

Para as crianças, filhos e filhas, a presença dos pais se faz essencial, principalmente frente às questões pedagógicas. O incentivo dos mesmos é imprescindível para um bom rendimento escolar, principalmente para aquelas que apresentam dificuldades de aprendizagem.

Quando as notas baixas, a falta de interesse  e a negação para ir para a escola surgem, as famílias muitas vezes acreditam que a causa esteja na falha das escolas, dos professores ou por preguiça e incapacidade da própria criança. Este último, fragiliza mais ainda o indivíduo, tornando-se mais complexo e difícil reencontrar sua estabilidade nos estudos. Muitas vezes, se faz necessária a ajuda profissional. O trabalho psicopedagógico que acontece entre o mesmo, a criança e a família tem como objetivo mudar esse foco de pensamento, fazendo com que haja uma união entre as partes envolvidas para chegar a resultados favoráveis.

Para que os pais se façam presentes nesse contexto é necessário que o profissional entenda primeiramente como a família envolvida se organiza, para elaborar junto com a mesma, estratégias positivas. Muitas vezes, é sugerido que pelo menos uma das refeições seja feita juntos, que haja um momento para os membros conversarem e cada um falar de seu dia-a-dia, principalmente para os pais procurarem saber com o seu filho aspectos escolares, dúvidas e matérias em que há menos identificação, se preocupando com suas atividades. Além disso, estar sempre presente na escola, em reuniões de pais e abertos para as sugestões e solicitações da mesma é importantíssimo.

O fato dos pais acreditarem no trabalho dos professores e da escola faz com que a criança sinta que tem todo o respaldo par obter melhoras. Importante também é elaborar uma rotina de estudo para ela, não esquecendo que o descanso e as brincadeiras fazem parte do seu desenvolvimento. Essas atitudes proporcionam a sensação de que os seus pais se preocupam com ela, fazendo sentir-se segura, amada e capaz de vencer todas as suas dificuldades.

Quando a família consegue estabelecer esse tipo de relação, o trabalho psicopedagógico fica mais fácil e a criança aos poucos vai obtendo mudanças de posturas, tornando-se mais feliz e interessada nas questões escolares. Para que esses avanços tenham bases sólidas, os pais precisam permanecer com suas condutas e exigências de rotina mesmo após conquistarem os resultados.

Você encontra mais sobre a autora no Facebook

Compartilhar
Verônica Barban Isaac Botelho
Psicóloga Clínica. Atende crianças, adolescentes, adultos, casais. Também realiza Orientação Vocacional e Laudo para Cirurgia Bariátrica.



COMENTÁRIOS