A Procura da Felicidade e o Autocoaching

 

O tocante e emocionante filme “À Procura da Felicidade”, conta a trajetória de Cris Gardner com o seu filho pequeno e recém abandonado por sua esposa, e com uma situação financeira desesperadora. Mas o que este filme tem em comum com o processo de Coaching? A busca incansável pelos sonhos que alimentamos.

Uma história verídica de pura persistência, networking, estudos, amor a família e determinação. Esses foram os fatores que levaram o atual empresário Cris Gardner a lutar por aquilo que acreditava. Retratado no belo filme Cris foi interpretado por Will Smith. Com o filho pequeno Cris perdeu tudo, casa e emprego, o que resultou em vagar pelas ruas buscando lugares onde pudesse tomar banho, comer e dormir. Sem dinheiro para pagar a escola do filho e o transporte e passando por inúmeras dificuldades.

E por incrível que pareça ele sempre fazia o autocoaching, processo na qual você faz o coaching consigo mesmo, colocando em evidência o que realmente quer, traçando metas e buscando através de ações concretizá-las. Cris queria um emprego para dar ao seu filho condições dignas, e para isso trabalhou como estagiário, estudou várias noites e colocou para si próprio que venceria quantas batalhas fossem necessárias.

No processo de Coaching o mesmo acontecerá, o Coachee traçará uma meta para alcançar e com o apoio do Coach e através de ações direcionadas para a meta ele sairá do estado atual para o estado desejado. Desenvolvendo a sua inteligência emocional e colocando todas as áreas da sua vida; espiritual, emocional, física e intelectual em alta performance, a busca pelo sonho torna-se um hábito. Em muitos momentos retratados no filme, Cris pensa em desistir, chora e sente o peso do cansaço de buscar o que quer.

Entretanto, o estresse de quem está na busca por seus sonhos é melhor do que o estresse de quem permanece na zona de conforto, até mesmo porque na zona de conforto nada se conquista, e na busca por seus sonhos e enfrentando obstáculos e desafios as oportunidades se abrem para o novo.

Fato que aconteceu com o Cris Gardner, de tanto lutar pelos seus objetivos, hoje é um empresário norte americano, investidor e escritor, sua busca não foi fácil, assim como qualquer busca para realizar os sonhos. Em qualquer busca enfrentamos as nossas limitações e crenças, aprendemos qual ponto devemos trabalhar, e qual já está bem trabalhado e que deve ser explorado. Infelizmente Cris não teve ao seu lado um Coach, contudo ele provou que a sua resiliência, e inteligência emocional estavam em alta performance.

Portanto a luta por aquilo que acreditamos deve ser diária, repensando comportamentos e atitudes, buscando aperfeiçoamento, enfrentando limitações e crenças. E não esqueça de acreditar em você, esse é o primeiro ponto para o autocoaching!

“Nunca deixe alguém dizer que você não pode fazer alguma coisa. Se você tem um sonho, corra atrás dele. As pessoas não conseguem vencer e dizem que você também não vai vencer. Se quiser alguma coisa, corra atrás” (À Procura da Felicidade, 2007).

 

Compartilhar
Gabriela Cecarechi
Gabriela Cecarechi é Psicóloga Organizacional e do Trabalho e Coach.



COMENTÁRIOS