Pesquisadores da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, realizaram um estudo mostrando a ligação entre ansiedade e obsessão por limpeza. A pesquisa foi publicada na revista científica “Current Biology”. O chefe da pesquisa, o antropologista Martin Lang, selecionou um grupo de estudantes com dificuldades para falar em público. Inicialmente, eles deveriam observar uma estátua e então fazer um discurso sobre ela. Após se expressarem, teriam que limpá-la.

Os pesquisadores compararam eles com outro grupo que não precisou fazer o discurso. O resultado foi que os estudantes que falaram em público foram mais repetitivos na forma como limpavam a estátua. O nível de ansiedade no momento estava relacionado a quantidade de movimentos realizados e o quanto de tempo levavam para ter certeza de que o objeto estava limpo.

O estudo acredita que pessoas estressadas podem se voltar a serviços de limpeza com maior facilidade, pois isso lhes dá controle sobre uma situação. Eles teorizam que, na ausência da limpeza, as pessoas ansiosas podem desenvolver outros comportamentos, como comer mais, roer as unhas ou rezar.

O que é Ansiedade?

Levando-se em conta o aspecto técnico, devemos entender ansiedade como um fenômeno que ora nos beneficia, ora nos prejudica, dependendo das circunstâncias ou intensidade, e que tornar-se patológico, isto é, prejudicial ao nosso funcionamento psíquico (mental) e somático (corporal). A ansiedade estimula o indivíduo a entrar em ação, porém, em excesso, faz exatamente o contrário, impedindo reações.

Imagem de capa: Shutterstock/Andrey_Popov

TEXTO ORIGINAL DE MINHA VIDA

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS