As funções exercidas pelo “ pai” no desenvolvimento da personalidade

Quando o pai entra na vida de uma criança, ele se apropria dos sentimentos que ela  já alimentava pela mãe, no período da gestação. Neste momento o pai pode se ver  impotente diante da necessidade de sobrevivência  que a  criança nutre em relação a mãe.

Ele precisa desempenhar um papel muito importante; ajudar a mãe a se sentir bem e feliz em seu estado de espírito e  juntos efetuam os cuidados necessários e proporcionam uma boa adaptação do bebê ao lar.

A criança se apega a mãe integralmente e cabe ao pai se mostrar presente nessa relação para que a criança perceba a família como um todo, se este pai não se fizer presente, deixando a mãe ocupar todo o espaço existencial da criança, existe a possibilidade dela desenvolver traços de dependência afetiva.

A mãe na primeira infância ou por quase toda a vida não é vista para além do seu “papel de mãe”, e poucas vezes o desenvolvimento emocional dos filhos lhes permitem vê-la como uma pessoa, uma pessoa com necessidades, medos, inseguranças… O pai é visto em sua integridade e na sua totalidade pessoal, ele leva vantagem e confere essa vantagem aos filhos, o de ser percebido como uma pessoa, estando em melhores condições de apontar o caminho do amadurecimento, por estar menos preso a fantasia onipotente da criança.

O pai representa uma figura de autoridade, duro, implacável, severo, e gradualmente vai se transformando num ser humano que pode ser  amado e respeitado. Sua forma de ser, determina a maneira como a criança vai usar ou não esse pai, determina o que a criança deve esperar e buscar na relação paternal.

Sendo ele a  primeira pessoa que mostra à criança que ela pode confiar em mais alguém além da mãe, permitindo assim um relacionamento saudável em sociedade.

A mãe pode e deve contribuir para melhorar essa relação, como por exemplo:

  • Conceder poder de decisão, o pai também sabe o que é melhor para o filho.
  • Quando o pai dá “bronca”, a mãe precisa apoiá-lo.
  • Deixe a sós para um passeio, afinal o pai também tem o direito à momentos únicos.
  • Tarefas físicas são excelentes para estabelecer um contato e criar vínculo, delegue algumas atividades como trocar as fraldas, dar comida, mamadeira, contar histórias …

A verdadeira função do pai vem de dentro, vem da alma, vem do desejo de ter o filho, do calor de abraçar o filho, da possibilidade de se perpetuar no filho. A grande função do pai, assim como da mãe é amar, e amar é priorizar o seu bem estar, que inclui vários cuidados materiais, educacionais, emocionais e espirituais.

Os Pais precisam e devem se completar,  a mãe pode ter atitudes “fortes”, assim como o pai pode ter atitudes “maternais”, sem que isso ameasse a identidade específica de cada um.

Compartilhar
Rosana Angelo Ribeiro
Psicóloga clínica, entende que a psicologia é uma ciência que pode ser compreendida por todos. Realiza atendimento para adolescentes, a partir dos 11 anos de idade, até o momento em que a pessoa sinta a necessidade de ser ouvida e compreendida.É uma profissional que gosta de escrever em seu blog, e se dedica aos atendimentos em seu consultório.



COMENTÁRIOS