Autismo: Como identificar?

O Autismo se define como um transtorno neurobiológico, sendo uma alteração no desenvolvimento da criança. O grau de comprometimento é variável, desde quadros leves, como Asperger (na qual não há comprometimento da fala e da inteligência), até quadros graves com a presença de comportamentos agressivos e QI abaixo da média esperada para a idade. As crianças autistas já começam a demonstrar sinais nos primeiros meses de vida, podemos intervir observando alguns sinais:

Crianças entre 6 e 12 meses:

Não faz contato com os olhos;

Não sorri;

Não acompanha você com o olhar quando se afasta dela;

Não balbucia palavras;

Não estende os braços pedindo colo;

Não procura quando o chama pelo nome;

Não dá “tchauzinho”;

Atraso ou ausência da fala;

 

Crianças em idade escolar:

Evita contato visual;

Dificuldades de interação social e de comunicação;

Não responde quando é chamado;

Movimentos repetitivos sem motivo aparente;

Gestos peculiares com os dedos e mãos;

Repetição de frases que ouviu em desenhos e filmes;

Emissão de sons e palavras repetidamente, fora do contexto;

Isola-se das outras crianças;

Brinca com objetos e brinquedos de maneira inusitada;

Reage excessivamente a barulhos altos ou contato físico;

Reduzida capacidade de imaginação;

Interesse exagerado em assuntos específicos;

Necessidade de manter rotinas;

Confunde-se com frases de sentido figurado, levando tudo ao pé da letra.

O diagnóstico é essencialmente clínico, quando mais cedo se fizerem o diagnóstico e o tratamento, melhor será o desenvolvimento da criança. Com carinho, amor, atenção, estímulo e inclusão, a criança com autismo pode desenvolver seu potencial como qualquer outra criança.

Se a criança apresentar esses comportamentos, encaminhe a um psicólogo.

Compartilhar
Luciane Cristina Slompo
Psicóloga, Psicopedagoga, Neuropedagoga, pós graduada em Educação Especial. CRP 08/17823. Atuo como Psicóloga Clínica em Corbélia - Paraná (45)3242-3951 - Espaço Saúde.



COMENTÁRIOS