Autoestima: Viver conscientemente

Para entendermos o significado de uma vida consciente, necessitamos de um conceito para balizar nosso raciocínio. Devemos primeiramente conceituar consciência, mesmo sabendo que tal definição também gera limitação e reducionismos.

Consciência é o estado de estar alerta e atento ao que acontece a nossa volta, porém de uma forma mais específica e ampla pode-se defini-la como a tomada de ciência dos vários processos mentais que ocorrem no cérebro. O grau de consciência desses processos varia de pessoa para pessoa. Ao tomar decisões, planejar, memorizar e realizar outros processos cognitivos o indivíduo pode estar mais ou menos consciente da ocorrência dos mesmos e em alguns casos pode nem saber que os realizou e agir de forma tão automática que sequer lembra-se de suas atitudes.

Viver conscientemente é assumir as responsabilidades por nossos atos, desejos, escolhas.

Conforme asseverou Newton em sua terceira lei, conhecida como princípio de ação e reação, “toda ação corresponde a uma reação de igual intensidade e sentido contrário”. Extrapolando para nossas vidas, sempre teremos que conviver com as consequências de nossos atos e escolhas.

Viver conscientemente é assumir a nossa realidade, é conhecer nossos medos e aceitá-los como parte de nossa vida, sabendo que o medo nada mais é de que um aviso, um alerta para nos prepararmos para os desafios. É assumir nossas fraquezas e trabalhar nossa mente para desenvolver novas habilidades e paulatinamente superar as debilidades e desenvolver forças para lutar.

Quando negamos a realidade não enxergamos, não percebemos e por isso fingimos para nós mesmos que os problemas não existem, ou mesmo criamos a fantasia de que tudo está transcorrendo corretamente. O primeiro passo é reconhecer a insatisfação com nosso modo de viver e declarar que não queremos mentiras e fantasias.

Viver conscientemente é aprender a não confundir desejos com realidade e buscar ser ativo nas transformações desejadas. Tomar decisões e deixar de esperar que outros as tomem por nós, é fazer o necessário para construir a própria felicidade.

Viver conscientemente é viver pelas próprias regras, aprendendo a dizer não às imposições alheias e assumindo as próprias vontades sem se deixar dominar pelas modas e opiniões comuns que não condizem com nossos princípios.

Viver conscientemente é não se permitir acompanhar amizades vazias que não agregam valores, é saber escolher ficar sozinho mesmo quando isto signifique não ter com quem compartilhar nossas crenças.

Viver conscientemente é descobrir o que se quer da vida e onde se está em relação aos objetivos. É diariamente perguntar a si mesmo se as ações realizadas estão o aproximando ou o afastando de seus objetivos. É também admitir erros e festejar acertos sem vaidades ou humilhações desnecessárias, saber que não somos o centro do Universo, porém somos o centro de nossas vidas.

Compartilhar
Wagner Costa
Psicologo CRP/RR 20/04079 graduado pela Faculdade Cathedral (2011). Pós-graduação (Lato Sensu) em Pedagogia Hospitalar pela Universidade Gama Filho (2011) e Mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade Cruzeiro do Sul (2015). Atualmente é professor da Faculdade Cathedral de Ensino Superior no curso de Psicologia, atuando também como membro do Colegiado do curso de Psicologia e representante dos docentes no Conselho Superior da Instituição. Psicanalista Clínico pela Sociedade Psicanalítica Ortodoxa do Brasil. Possui formação em Programação Neurolinguistica pela Sociedade Brasilleira de Programação Neurolinguistica e atua na área de treinamento e palestras motivacionais.



COMENTÁRIOS