Beijos na boca! Por que Mãe?

Hoje chateei-me com a minha mãe, logo de manhã. Fico fula quando ela me faz isto, grrr!

Desde pequenos que a minha mãe tem a péssima mania de dar beijos na boca a mim e ao meu irmão. Não sei porque raio é que ela faz isso! Questiono-me se viu alguma telenovela onde faziam isso, se está na moda ou se simplesmente um dia caiu da cama, bateu com a cabeça e passou a fazer isso? Quando éramos pequenos até achávamos piada. Eu achava carinhoso e via a minha mãe como a minha melhor amiga. Quando chegava à escola tentava fazer o mesmo com todos os meus colegas, mas eles estavam sempre a fugir de mim…hoje ridiculamente percebo porquê, ninguém quer uma tarada atrás de si!  O meu irmão foi sempre o que mais gostou dos beijos na boca da minha mãe. Fingia que a mãe era a sua namorada e a fantasia dele tornava-se realidade.

O pai dava beijos na boca à mãe e o meu irmão ia logo a correr para dar também, agarrava-se à minha mãe como um macaco encastrado na fêmea, numa competição desenfreada entre ele e o pai para disputarem quem ficava com mãe. Muitas das vezes com alguns empurrões e nomes feios do meu irmão para o meu pai, o que consequentemente fazia com que os meus pais acabassem por discutir…e eu era como que uma sombra que passava despercebida no meio de toda aquela “brincadeira” maluca.

Tal como eu disse, tudo isto era muito engraçado quando éramos crianças, mas eu agora já tenho 12 anos, sou uma pré-adolescente…interessada no rapaz mais giro da escola. E o que é que a minha mãe tem a ver com isso? Perguntam vocês. Pois bem, hoje de manhã quando a minha mãe me foi deixar à escola, todos os meus amigos estavam à porta, inclusive o Rodrigo (o tal…).

Eu saio do carro a correr para não ter hipótese de me despedir da minha mãe, mas ela não sei como, saiu do carro ainda mais rápido do que eu, foi ter comigo, abraçou-me e deu-me um beijo rápido na boca…NÃO!!! Todos olharam, logo de seguida gozaram comigo e ainda me chamaram de “lésbica”.

Tudo isto à frente do Rodrigo…foi a maior humilhação da minha vida!  Passei o dia todo a tentar gerir as minhas emoções e pensar como pôr fim a este hábito ridículo, como falar com a minha mãe?

Compartilhar
Joana Collaço
Psicóloga com o mestrado em psicologia educacional, formação em terapia cognitiva e comportamental com crianças e adolescentes, pós-Graduação em neuropsicologia entre outras formações. Vive em Portugal. As crónicas têm o intuito de partilhar com os pais, professores e todos os interessados, aquilo que pode ser o ponto de vista de algumas crianças/adolescentes sobre os mais diversos temas e problemas do mundo que os rodeia.



COMENTÁRIOS