Com o desenvolvimento das redes sociais, as relações afetivas começaram a passar por algumas variações. A paixão é medida por corações de Instagram. Um “curtir” da pessoa certa no Facebook pode alegrar o nosso dia. Termos como ‘Ghosting’ ou ‘Benching’ entraram no vocabulário popular, dando nome a práticas covardes.

Nessa sociedade marcada pela dependência da tecnologia, não é de se estranhar que muitos romances tenham começado online. Após várias conversas por WhatsApp, o lógico é sair para tomar um café ou uma cerveja, inaugurando dessa maneira o início de uma história de amor (ou desamor).

Mas o que parece tão fácil em algumas situações, muitas vezes acaba se complicando. Pode ser que após um par de encontros a outra pessoa não continue mais interessada e não saiba como dizer. Às vezes, a vergonha e o egoísmo provocam a prática do “ghosting”: desaparecer sem dar explicações.

Dessa forma, o outro descobre que a pessoa com quem sai já não responde mais suas mensagens nem suas ligações. A pessoa bloqueou ou apagou seu contato das redes sociais sem dar nenhum motivo. O desconsolo, a raiva e a desconfiança inundam a pessoa que não entende o que está acontecendo.

O que é o Benching?

Assim como o ghosting, a prática do Benching é uma forma de fugir de uma relação sem lidar com a outra pessoa. A principal diferença do primeiro é que a pessoa que usa o Benching deseja continuar mantendo contato com seu ex para poder utilizá-lo quando desejar.

O termo surge da expressão em inglês “to bench” (deixar alguém no banco de reservas). Sua função básica: pretende-se manter o interesse de uma pessoa com a qual não queremos nada sério, mas de quem queremos nos aproveitar. Seja porque exista uma figura principal de quem gostamos de verdade ou por não desejar compromisso, o benching é uma técnica cada vez mais usada socialmente.

Viver em uma eterna incerteza pode ser prazeroso no começo. Não saber o que vai acontecer ou se a outra pessoa está realmente interessada pode ser excitante, mas confere à relação um interesse meramente platônico. Embora em muitos casos também gere mal-estar e sofrimento na pessoa que está esperando. O hedonismo unilateral não costuma acabar muito bem.

“Se amar você significa deixar de lado o meu amor próprio, meu vínculo com você é tóxico: não me interessa.”
-Walter Riso-

Como você pode saber se está sofrendo Benching?

A pessoa demora dias para responder

É verdade que quando gostamos de alguém, às vezes demoramos algum tempo para responder. Não queremos quebrar a magia ou fazer o outro pensar que somos muito acessíveis. Assim, é normal demorar um pouco para responder uma mensagem enviada por alguém especial.

O que não é tão comum é demorar dias ou semanas. Se a pessoa com que você está saindo se comporta dessa forma, mantenha-se alerta. Se gostasse de você de verdade, a pessoa não deixaria passar tanto tempo – a não ser que realmente tenha acontecido alguma coisa – pois teria medo de perder o seu interesse.

Faz elogios continuamente, mas depois ignora

É comum que a pessoa não pare de elogiar você física e emocionalmente. Ela diz que você é especial, único, atraente e diferente. Deixa sua autoestima lá no alto, mas o faz para aumentar a própria. Ela quer que você precise dela e que sinta que não consegue viver sem ela.

Ao mesmo tempo, te ignora sempre que quer. Cria uma sensação de confusão e ambiguidade para perder você. Nesse ponto costuma surgir um certo grau de dependência com o outro.

Responde de forma ambígua a perguntas incômodas

Pode ser que você já tenha tentado perguntar várias vezes que tipo de rumo a relação de vocês vai seguir, mas a pessoa é incapaz de manter uma conversa sobre isso e foge de qualquer tema relacionado. Ela insiste em elogiar você, mas não em ser sincera em relação ao que sente.

A única intenção dela é mantê-lo na espera, caso não surja nenhum plano melhor. A pessoa não se importa em saber sobre como você se sente ou o dano que possa provocar, a principal preocupação dela é o próprio bem-estar. Ela tem tanto medo de ficar sozinha e de não ter ninguém para inflar seu ego que não é capaz de enxergar mais além.

Quem pratica o benching pretende garantir alguém no banco de reservas por medo de ficar sozinho.

Amar a nós mesmos nos protege do benching

Em qualquer relação de casal, é necessário estabelecer parâmetros entre o que queremos e o que estamos dispostos a fazer. Se sua relação desde o começo tiver sido clara e honesta, pode ser que você esteja se equivocando de termo.

Existem casais que desde o começo decidem que podem ter relacionamentos com outras pessoas. Em longo prazo, algumas pessoas descobrem que esse tipo de acordo não é benéfico para si, pois provoca mais sofrimento do que vantagens. Se for esse o caso, você não está sofrendo benching, mas sim uma falta de comunicação com o outro. Aceitar um tipo de relação com a qual você não está à vontade não é um problema dos outros, é um problema seu.

Se, pelo contrário, você sente que está sendo enganado ou privado de algumas informações, não hesite em confrontar. Você deve se amar o suficiente para saber que é melhor ficar sozinho do que mal acompanhado.

Imagem de capa: Shutterstock/Anetlanda

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE É MARAVILHOSA

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil

Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.


COMENTÁRIOS