Como identificar uma pessoa com transtorno bipolar

Por Dr. Persio Ribeiro Gomes de Deus

O transtorno bipolar é uma doença muito comentada hoje em dia: toda pessoa que vivencia muitas variações de humor é chamada de “bipolar”. No entanto, saber identificar quando uma pessoa está com transtorno bipolar pode ajudar muito quem busca tratamento.

Nem toda oscilação de humor é um transtorno bipolar

É importante salientar que humor linear, totalmente equilibrado (eutímico) é algo basicamente ninguém tem. Todos apresentamos oscilações em nosso estado de humor devido a fatores externos e até a fatores de ordem interna (como a TPM nas mulheres). Entretanto estas oscilações não configuram necessariamente em um quadro de bipolaridade. Não raro podemos acordar bem, e ao final da tarde estarmos de mau humor. Essa oscilação ao longo de um dia não é transtorno bipolar.

O conceito de bipolaridade consiste na permanência no estado de euforia ou sintomas depressivos por um período superior a três semanas e de forma constante e progressiva, o que não raro pode levar à uma internação para tratamento.

Entenda melhor o que é o transtorno bipolar

No transtorno bipolar, as pessoas alternam entre períodos de muito bom humor (mania) e períodos de irritação ou depressão. As chamadas “oscilações de humor” podem ser muito rápidas e ocorrer com muita ou pouca frequência.

No transtorno bipolar clássico e sem tratamento, cada fase de depressão dura em geral de três a seis meses. Depois existe uma fase de normalidade que é variável, e posteriormente uma fase de euforia que também pode durar entre três e seis meses. Com tratamento adequado este período pode ser abreviado.

Os transtornos bipolares podem ainda se apresentar em alguns tipos específicos de quadros clínicos:

  • Transtorno bipolar tipo 1: pacientes apresentam pelo menos um episódio maníaco e períodos de depressão profunda. Antigamente, o transtorno bipolar do tipo 1 era chamado de depressão maníaca
  • Transtorno bipolar tipo 2: pacientes nunca apresentaram episódios maníacos completos. Em vez disso, elas apresentam períodos de níveis elevados de energia e impulsividade que não são tão intensos como os da mania (chamado de hipomania). Estes episódios se alternam com episódios de depressão
  • Uma forma leve de transtorno bipolar chamada ciclotimia envolve oscilações de humor menos graves. Pessoas com essa forma alternam entre hipomania e depressão leve. As pessoas com transtorno bipolar do tipo II ou ciclotimia podem ser diagnosticadas incorretamente como tendo apenas depressão.

Sintomas de transtorno bipolar

Os sintomas mais comuns de cada fase são:

Fase maníacaFase depressiva
Facilidade em distrair-seDificuldade em se concentrar
Autoestima muito alta (ilusão sobre si mesmo ou habilidades)Baixa autoestima, normalmente sentindo-se inútil, sem esperança ou culpado
Aumento de energiaFadiga ou falta de energia
Grande agitação ou irritaçãoDesânimo diário ou tristeza
Redução da necessidade de sonoProblemas para dormir ou excesso de sono
Capacidade de discernimento diminuídaDificuldade de lembrar de fatos ou de tomar decisões
Pensamentos acelerados que se atropelamPensamentos sobre morte e suicídio
Compulsão alimentar, abuso de bebidas alcoólicas e/ou drogasPerda de apetite e peso ou compulsão alimentar e ganho de peso
Hiperatividade e grande envolvimento em atividadesAfastamento dos amigos
Comportamento sexual com muitos parceirosPerda de interesse nas atividades que antes eram prazerosas
Gastos excessivos
Pouco controle do temperamento

Os sintomas acima são mais comuns em pessoas que tem o tipo 1 da doença. No tipo 2, os sinais são similares, mas menos intensos.

Doenças que podem ser confundidas com o transtorno bipolar

Os sintomas do transtorno bipolar podem ser confundidos com sinais de outros quadros e isto ocorre com uma certa frequência – não somente por parte dos pacientes, mas até por parte de outros colegas médicos.

Existem outros quadros com sintomas semelhantes ao transtorno bipolar como:

  • Distimia: em que a pessoa tem alternância do estado de humor tendendo à depressão: reclama de tudo, nada é aproveitável, vive de “mau humor” e tudo é um esforço
  • entretanto consegue cumprir suas atividades profissionais, estudantis, familiares à custa de má qualidade de vida, mau humor e irritabilidade em graus variáveis
  • Disforia: quadro no qual a pessoa tende à irritabilidade, ansiedade, aceleração do pensamento, intolerância
  • mas também não é um transtorno bipolar.

Quando procurar ajuda de um psiquiatra?

Independente dos sintomas apresentados, toda a vez que uma pessoa estiver apresentando algum tipo de sofrimento, ou perda da qualidade de vida, independente do ?rótulo? diagnostico, ela deve procurar ajuda, e dentre eles um psiquiatra capacitado para lidar com transtornos do humor.

Imagem de capa: Shutterstock/9387388673

TEXTO ORIGINAL DE MINHA VIDA

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS