Como ocorre a violência psicológica?

Vivemos  numa sociedade, em que as agressões verbais ocorrem em nossa volta, ou seja, agressões psicológicas que levam o adoecimento das pessoas, um tipo de agressão que visa afetar os indivíduos psicologicamente. É uma violência que acontece em uma relação desigual de poder, em que os agentes exercem autoridade sobre as vítimas, sujeitando-as aos maus tratos psíquicos de forma continuada e intencional.

A maneira como é feita a agressão psicológica provoca adoecimento físico e do mesmo modo gera vergonha, medo, humilhação, estresse e angústia que podem deixar cicatrizes psicológicas profundas. As pessoas que sofrem tortura psicológica muitas vezes precisam de tratamento psicoterapêutico para conseguir superar o trauma que  pode levar ao afastamento da sociedade ou, em casos extremos, conduzir ao suicídio.

Por isso, é importante entender os mecanismos da violência psicológica para ajudarmos as vítimas a libertarem-se desse sofrimento psíquico, especialmente nos casos mais frequentes de coação psicológica contra mulheres, crianças, idosos e trabalhadores, que consideramos grupos sociais mais vulneráveis na sociedade.

A violência  psíquica contra as mulheres ocorre com frequência no ambiente doméstico e de trabalho, praticada por companheiros ou chefes, bem como em qualquer relação interpessoal em que os agressores tenham convívio com as vítimas, uma vez que  os maus-tratos psicológicos são de contorno continuado.

O machismo contra as mulheres as coloca em posição de inferioridade em relação aos homens, se caracterizando por meio xingamentos e atitudes grosseiras, uma violência que acaba com autoestima das mulheres, produzindo adoecimento corporal e mental das vítimas.

Quando os abusos psíquicos contra as crianças são praticados pelos pais ou por aqueles que deveriam ter a função de cuidar delas, as consequências são  desastrosas para o desenvolvimento humano das crianças, podendo levar a déficits mentais. Crianças e adolescentes vivendo sob o mesmo teto dos agressores, com vínculos de dependência e de afetividade, serão reféns contínuos de seus abusadores.

A violência psicológica contra os idosos representam abusos, que abrangem o desprezo, o preconceito e a discriminação, e é por isso que muitos idosos desenvolvem um quadro clínico de tristeza, isolamento, depressão e até mesmo suicídio. Isso pode estar ocorrendo no meio familiar ou nas casa geriátricas, onde os idosos são expostos silenciosamente a essa forma de violência.

O assédio moral no ambiente de trabalho tem como intenção de abalar psicologicamente os trabalhadores, fazendo-os se sentirem incompetentes para realizarem suas atividades. Constantemente os agressores buscam espalhar comentários maldosos, ridicularizar a religião, a raça e o modo de vestir dos trabalhadores expostos a tamanha ofensa psicológica.

A violência psicológica é sútil, geralmente ocorre no espaço privado, prolagando-se por anos. Por medo, as vítimas ficam caladas e  escondidas da sociedade. Mas este tipo de violência também constitui-se como  desumana e degradante – é um crime previsto em lei, passivo de punição criminal e civil.  

Portanto, toda pessoa solidária pode  orientar essas vítimas a buscar a proteção dos seus direitos, que podem ser encaminhadas,  na sua cidade da seguinte forma:

  • Crianças e adolescentes –  Conselho  Tutelar;
  • Mulheres –  Delegacia da Mulher;
  • Idosos –  Conselho Municipal do Idoso;
  • Trabalhadores – Ministério do Trabalho ou Ministério Público do Trabalho;
  • Na ausência desses orgãos – Promotoria Pública Estadual.

Fazendo isso, estamos contribuindo para diminuir o sofrimento humano.

Compartilhar
Jackson César Buonocore
Jackson César Buonocore Sociólogo e Psicanalista



COMENTÁRIOS