O que há de errado em querer agradar aos demais? Em princípio, querer agradar não é algo ruim, muito pelo contrário. No entanto, outra coisa bem diferente é precisar da aprovação dos outros para tudo.

A busca de aprovação dos demais só é um problema real quando você sente que essa aprovação é o  que o mantém. Em primeiro lugar, porque você precisa contar com o apoio dos outros, é dependente deles, e isso faz com que você perca autoestima e autoconfiança.

Outro problema com a busca de aprovação constante é que isso o deixa vulnerável a ser uma pessoa manipulada pelos outros. Quando os demais descobrem que você está ansioso para agradar eles se acomodam, porque sabem que você vai fazer de tudo para fazer com que as coisas aconteçam.

Com o tempo, as pessoas que buscam constantemente a aprovação dos outros entram em um círculo vicioso do qual é difícil sair. Não só porque acostumam-se com alguém validando suas decisões, mas também porque os outros vão pressionar, e eles agem sabendo que vão precisar de suas opiniões. Os seguintes conselhos serão muito úteis para você que passa por isso, para superar esse vício, ganhar confiança, segurança, e começar a tomar duas próprias decisões.

Dicas para combater a busca incessante pela aprovação

1 – Diga o que pensa

Não é fácil dizer o que pensa. Ainda que existam momentos em que você precisa ser prudente, há outras ocasiões em que você tem que dizer sua opinião. Mas você precisa praticar. Comece falando consigo mesmo, reconhecendo esses pensamentos, vendo que você tem opinião, ainda que essas opiniões não sejam as que os outros gostem.

Pratique a maneira de dizer o que pensa sem ofender, mas se respeitando, respeitando suas ideologias e suas aspirações pessoais. Não deixe que o desejo de agradar o obrigue a pensar nos outros antes mesmo de pensar em você.

Você pode agradar aos outros sem trair a si mesmo. Se você não pensa e não diz o que pensa, os demais terão todo o poder sobre você…

2 – Agrade a si mesmo

Buscar constantemente a aprovação dos outros implica estar sempre com medo de que os demais estejam formando uma opinião ruim de você. Isso faz com que você se sinta vulnerável e vítima de si mesmo, pois se pergunta sempre se os outros estão contentes com você ou não. Isso acaba com a diversão, a criatividade, a bondade e a espontaneidade da vida.
De vez em quando você também tem que agradar e sentir orgulho de si mesmo, ainda que nem todo mundo aprove seus desejos e aspirações. Isso não é ser egoísta, mas sim o contrário. Uma pessoa que está satisfeita consigo mesma e que se sente bem é muito mais útil para os demais, porque é mais feliz e tem mais vontade de viver.

3 – Lembre-se de que independentemente do que acontecer, você sempre vai ter as pessoas que o amam

Buscar aprovação acaba sendo uma tentativa de ganhar e manter uma sensação de controle. Se podemos fazer as pessoas “felizes” por sermos o que imaginamos que eles querem que sejamos, então não vamos ser desprezados ou abandonados.

No entanto, você não pode controlar o pensamento de todos, e tampouco pode agradar a todos. Independentemente do que você faça, sempre haverá alguém que desaprove ou não entenda sua decisão. Ninguém tem um bilhete verde que agrade todo mundo e, ainda que tivesse, sempre haverá quem prefira um bilhete azul ou amarelo.

4 – Concentre-se no que é certo e em ser você mesmo

A mentalidade de um grupo pode nos forçar a fazer o que eles supõem que devemos fazer, mas nem sempre isso é o correto. Para não ir contra a corrente, muitos optam por satisfazer a manada, ainda que pareça incorreto.

Isso faz você entrar em uma dinâmica na qual você se torna uma pessoa alienada com os outros, perde a personalidade e sua capacidade de decisão. Livre-se disso, concentre-se no que você considera ser correto, analise sua filosofia, suas metas e seja você mesmo. Se você não gosta de algo ou de algumas pessoas, por que quer agradá-las? O que você ganha fazendo parte de um grupo assim?

5 – Não deixe que os demais o rotulem

As pessoas que estão tão preocupadas com a aprovação dos demais deixam que elas os rotulem em um extremo ou em outro. Entretanto, a maioria das pessoas não toma decisões e julga os demais simplesmente porque não os aprova ou não compreende suas formas de fazer as coisas, ou ainda porque não estão seguindo o modelo do grupo.

Inclusive, quando você compartilha a sua opinião o fato de você fazer o que acredita ser o certo não faz com que você se rotule de maneira negativa, nem faz os outros perderem o carinho que têm por você. Muito pelo contrário, ser você mesmo é a melhor maneira de ganhar o respeito dos outros.  E se as pessoas o rotulam, procure agir para que esse rótulo esteja dentro de uma categoria de seu interesse.

Imagem de capa: Shutterstock/Mikhail Zahranichny

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE E MARAVILHOSA

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil

Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.


COMENTÁRIOS