A dor da angústia

A angústia é o sentimento mais primitivo do ser humano. Ela é uma sensação caracterizada pelo sufocamento, dor no peito – como se o coração estivesse apertado – sentimento de ansiedade, de falta, carência, aflição, insegurança e tristeza.

Essa sensação perturbadora e desconfortável nos acompanha desde o nosso nascimento e vai se “instalando” em nós ao longo das nossas vidas. Isso significa duas coisas importantes:

1) Qualquer pessoa, pode sentir angústia e ela não está necessariamente vinculada a uma depressão ou a outra patologia, pode ser inclusive a manifestação de uma ansiedade. Ela só será tratada como uma patologia quando estiver associada a outros fatores como pensamentos negativos, falta de concentração, tristeza permanente, cansaço físico e mental.

2) Outra questão importante a considerar acerca da angústia é que nós podemos amenizar esse sentimento, trabalhar para que ele não nos incomode tanto e nem afete a nossa qualidade de vida, entretanto, ele não será extinto de nossa existência.

Nós não estamos preparados para todas as situações que impulsionam o surgimento da angústia em nós e ao longo da nossa vida conforme essas situações vão surgindo nós vamos desenvolvendo meios para dar sentido a essa dor e amenizar a angústia.

A angústia pode surgir como um sinal de alerta, como expressão de perigo de uma interpretação nossa diante de uma situação, nesse caso precisamos estar atentos e avaliar se essa situação que desencadeou a nossa angústia é realmente lógica e coerente com a realidade ou se é algo exagerado, fruto de um pensamento distorcido.

Um fator que pode gerar mais ansiedade e aumentar a angústia está no fato de geralmente não termos o controle desse sentimento que nos invade de maneira agressiva, provocando uma sensação de impotência, aumentando ainda mais o nosso sofrimento.

Algumas pessoas que sofrem com uma angústia que não é desencadeada por um fator externo. Essa angústia é proveniente de fatores internos, de lembranças, pensamentos e sentimentos de desamparo. Nesses casos, a angústia pode estar ligada a traumas e uma história de repressão.

Quando a angústia não é bem trabalhada ela pode ajudar a desencadear vários sintomas negativos e contribuir para o adoecimento do sujeito. Além da depressão, a angústia perturbadora, se não tratada, pode potencializar o aparecimento ataques de pânico e quadros patológicos como por exemplo a paranoia.

O nosso estado de humor afeta a qualidade dos nossos pensamentos e pode influenciar para que esses sentimentos de ansiedade e angústia se potencializem em nós, por isso, é muito importante cuidar desse tipo de sentimento e estar atento aos sinais que o nosso corpo emite.

Bons pensamentos e sentimentos a todos!




COMENTÁRIOS