Embriaguez pode ser psicológica, afirmam cientistas

A sensação de estar bêbado pode ser psicológica, afirmam pesquisadores da Universidade de Victoria, na Nova Zelândia. E a memória das pessoas pode falhar se elas acreditarem que estiveram se embriagando, mesmo que tenham bebido só limonada, conclui um estudo.

Psicólogos deram um drinque sem álcool para 148 estudantes, que acreditavam estar consumindo um coquetel com vodka. Eles beberam em um quarto decorado como se fosse um bar e os coquetéis estavam em garrafas de vodka.

Água tônica
Metade dos estudantes foram informados que estavam bebendo vodka e a outra metade achava que estava bebendo água tônica.

Na verdade, todos beberam água com limão.

Depois de beberem, eles assistiram a uma exibição de slides de um crime e tiveram que analisar uma história que continha inconsistências. Os pesquisadores constataram que os que achavam que tinham bebido vodka tinham uma memória pior do que os que sabiam que estavam sóbrios. Os que acharam que consumiram álcool também se mostraram menos confiáveis ao tentar lembrar da história que acompanharam por slides.

“Nós prejudicamos a memória dos que acharam que estavam bebendo e intoxicados, mesmo que eles tenham consumido só limonada”, disse Maryanne Garry, uma das pesquisadoras.

“O que o estudo mostra é que não estamos somente acumulando informações, como um computador. A memória é um instrumento para entender e lembrar de eventos”, acredita Garry.

Fatores sociais
De acordo com Jim Golby, da Universidade do Teesside, no norte da Inglaterra, o fato de que a memória pode ser afetada pela percepção é fartamente documentado. O que é percebido como um crime pode ser influenciado pelo estado em que a pessoa se encontra, ensina o psicólogo.

O estudo vai ser publicado na revista da Sociedade Americana de Psicologia,Psichological Science.

TEXTO ORIGINAL DE BBC

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS