Estudo afirma que, por motivos biológicos, finais de semana deveriam durar 3 dias.

Não é só você quem pensa que o final de semana é curto demais: a ciência também diz isso. É o que uma série de estudos recentes em diversas áreas da medicina à administração estão tentando provar.

Segundo uma análise de 25 estudos feitos pelos Estados Unidos, Austrália e por países europeus, chegou-se à conclusão de que pessoas que trabalham 55 horas semanais ou mais tinham 33% mais chance de sofrer um derrame cerebral e 13% mais chances de ter doenças cardíacas quando comparado com aqueles que trabalhavam menos de 40 horas por semana. Para chegar a esse dado foram usadas informações de cerca de 600 mil pessoas!

Trabalhar menos de 40 horas por semana também faz com que você durma mais tempo e melhor, segundo  um relatório do periódico Sleep. De acordo com o estudo, o relaxamento seria um pré-requisito importante para prevenir a insônia. E a gente sabe que falta de sono pode gerar ansiedade, obesidade e depressão – o que não é nada legal.

O mais surpreendente é que trabalhar menos também faz as pessoas se tornarem mais produtivas. Desde o século 19 já haviam pesquisas que indicavam que a diminuição nas horas de trabalho gerava uma melhoria no desempenho dos funcionários.

Em 2009, um grupo de pesquisadores de Harvard decidiu testar a ideia para ver se ela funcionava também nos dias de hoje. Como? Eles inseriram um dia extra de descanso em um escritório. Nesse dia, os funcionários estavam proibidos até mesmo de checar seus e-mails. O resultado foi uma melhoria geral nos serviços.

Tá esperando o quê para enviar essa matéria para o seu chefe e ver se descola um dia de folga ou uma diminuição fofa na carga horária semanal?

TEXTO ORIGINAL DE HYPENESS

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS