Saber e poder crescer através dos relacionamentos que permeiam as seletividades é tarefa que não deve nos eximir do autocuidado que todos nós devemos ter ao adentrarmo-nos em terrenos que se avizinham a nós. Todavia, é fundamental que possamos saber somar e aprender com universos paralelos ao nosso.

Todo e qualquer relacionamento deve servir para que possamos evoluir, deve existir um espaço onde seja possível respirarmos com liberdade e tranquilidade. Os relacionamentos que experimentamos servem para que possamos, sobretudo, crescer através deles e de suas experimentações cotidianas.

Sempre que possível, procure se engajar a alguém que lhe permita experimentar sensações novas e diferenciadas. Não se permita permanecer estacionário, precisamos aprender com o outro, com aquilo que ele poderá nos acrescentar na bagagem dessa grande viagem que é a vida.

Um relacionamento deve ser distinto de quaisquer tipos de insuficiências, mas sabemos que haverá muitas, haverão muitas brechas que precisarão ser costuradas com fios de cetim, para que o tecido do amor e do envolvimento não se rompa, nem se corrompa com facilidade. Quando houver, e haverá, falhas; convém que saibamos alinhavar com ternura os laços que nos unem ao nosso companheiro ou companheira de jornada.

Mas refiro-me também a qualquer tipo de relacionamento, não devemos colocar as nossas carências para tapar buracos que nós mesmos um dia cavamos. Deepak Chopra diz que o que a maioria de nós leva para o relacionamento não é a plenitude, mas a carência.

Para ele, a carência implica uma ausência dentro de si. Ele nos diz que a carência é uma força poderosa, e que também é capaz de criar ilusões poderosas. Ele fala que ninguém pode realmente entrar dentro de nós e substituir a peça que está faltando. Quando estamos nos relacionando, às vezes nos esquecemos de que estamos compartilhando algo com o outro, e de que esse outro é feito da mesma finitude que também nos compõe.

Falta-nos perceber um pouco mais acerca da realidade, para nos certificarmo-nos de que o outro também possui limitações, e de que, como nós, também possui uma estrutura que muitas vezes se compõe do artefato da fragilidade que nos compõe pedaço por pedaço, nos tornando, mesmo que aos trancos e barrancos, indivíduos inteiros que lutam por sua individualidade.

Por isso, jamais corrompa a sua, é importante que você preserve o seu espaço, que saiba impor os seus limites e as suas limitações, delimitando a atmosfera que subdivide a permeabilidade que unifica dois indivíduos, bem como também um grupo de pessoas com as quais convivemos.

Saiba determinar esses espaços, sabendo delicadamente impor as condições essenciais para que a sua autopreservação permaneça intocada e, acima de tudo, respeitada.

Saiba fazer das diferenças um aprendizado, pois se o que almejamos for um relacionamento raso, onde somente a equivalência de aptidões impera, não existindo nada que possamos aprender com o outro, saibamos que não poderemos absorver nada de realmente útil e que se aproveite para que possamos nos banhar do solzinho que nos acalenta, ao invés de, sofridamente, nos queimar.

Relacionamentos tóxicos queimam, ferem e agridem, mas saber lidar com as diferenças do outro é poder saber crescer com os aprendizados que chegam enfeitando o brilho dos verões que sempre virão nos saudar alegremente.

“ São coisas em comum que fazem relacionamentos agradáveis, mas são as pequenas diferenças que os tornam interessantes.”
– Todd Ruthman –

É trivial procurarmos alguém muito parecido conosco para nos relacionarmos, e isso não deve ser desvalidado. Existe importância e funcionalidade nisso, mas podermos nos relacionar com alguém diferente, que seja de preferência mais evoluído do que nós, nos fará dar passos progressistas, nos fazendo caminhar inúmeros anos-luz adiante.

Com isso, nos distanciaremos da rotina costumeira à qual estávamos tão acostumados.

Trazermos para perto de nós pessoas ricas, com as quais poderemos nos tornar pessoas melhores, certamente nos fará caminhar e dar os passos certos rumo a grande jornada que todos nós devemos estar preparados para ofertar e vivenciar, hoje, amanhã e sempre.

Progridamos!

Imagem de capa: Shutterstock/WAYHOME studio

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE É MARAVILHOSA

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS