Fibromialgia- a dor que maltrata

Por: Laila Wahab- psicóloga cognitiva

Fibromialgia é uma condição caracterizada por dor generalizada com intenso desconforto físico. Dores de cabeça, enxaquecas, síndrome do intestino irritável, rigidez, formigamento, fadiga crônica. São alguns entre vários sintomas que podem fazer parte deste importante quadro de adoecimento.

Pode também ser explicada como uma síndrome dolorosa crônica, onde a dor é o sintoma mais evidente, o paciente apresenta múltiplos pontos dolorosos, muito sensíveis ao toque, chamados “tender points”.

A síndrome pode ter início após infecção viral ou bacteriana, ou de um acidente. Há pesquisas apontando uma íntima relação entre o surgimento da fibromialgia à problemas emocionais que envolvam perdas ou conflitos. Acredita-se também, que possa estar relacionada a traços de personalidade herdados, como o perfeccionismo ou a rigidez na manifestação do comportamento.

Desperta também bastante atenção os aspectos psicológicos envolvidos, tais como a depressão, distúrbios do sono e alterações de humor.

Alguns estudiosos acreditam que a fibromialgia tem em sua grande parte, comprometimento psicológico, uma vez que os antidepressivos e drogas que alteram a serotonina e noradrenalina no cérebro parecem proporcionar alívio ao paciente. Além disso, a psicoterapia mostrou-se importante aliada para o tratamento e acompanhamento desta doença.

De sorte que, os sintomas físicos causam um forte impacto psíquico. Pacientes acometidos por fibromialgia, são incompreendidos, tidos com chorões, porque ” estão reclamando de dor o tempo todo” favorecendo o surgimento de estados depressivos e ansiosos.

Ainda que sua origem seja controvertida, se psicológica ou somática. A psicoterapia traz grande e importante contribuição, melhorando a qualidade de vida destes pacientes, pois auxilia a reduzir distúrbios relacionados com a ansiedade e depressão, problemas relacionados ao sono, estresse, nervosismo e negatividade. Outro aspecto de auxílio, é no sentido de ajudar o paciente a manter um equilíbrio entre o esforço e descanso, aprendendo a adaptar suas metas às limitações impostas pela doença.

O cuidado imprescindível com a saúde física, no tocante a atividades físicas, moderadas, mas importantíssimas, pois ajudarão na manutenção dos tônus musculares, diminuindo a sensação de cansaço. São recomendações significativas e necessárias. A prática de técnicas de relaxamento também muito útil para o gerenciamento do estresse e para a redução da sensação de dor persistente.

Também faz parte do tratamento psicológico de pacientes com fibromialgia aprender a gerar pensamentos mais positivos, com padrões mais flexíveis de exigências de si mesmo, e cuidados com a autoestima. Ajustar sua adaptação e respostas mais adequadas frente a situações estressantes. Aprender a melhorar sua comunicação, e quando necessárias solicitações de ajuda aos outros como um suporte, em razão do elemento debilitante que acompanha o estado emocional das pessoas com fibromialgia.




COMENTÁRIOS