Haters (ou “odiadores” se traduzirmos de maneira literal), é um termo usado para classificar aqueles que praticam o cyberbullying. Eles postam comentários ofensivos e de ódio gratuitamente, criticam sem muito critério com conteúdo carregado de agressividade e ofensas que podem levar a consequências negativas para a vida das vítimas. Um comportamento aparentemente sem motivo, que intriga muita gente.

Por que o cyberbullying se disseminou na rede?

Na internet existe a ilusão e ideia de uma falsa proteção devido à possibilidade do anonimato. Existe a sensação de que podemos falar tudo e fazer qualquer coisa por estarmos “escondidos” e protegidos pela rede, como se nunca pudéssemos ser pegos nem responder por esses atos. Isso facilita a existência de comportamentos condenáveis.

Assim, as redes sociais acabam sendo vistas como uma oportunidade de burlar as regras, fazendo coisas inadmissíveis em sociedade. Dificilmente vamos encontrar, por exemplo, uma pessoa criticando a aparência de outra pessoalmente, uma vez que o atacado pode revidar.

Mas por qual motivo os haters criticam/odeiam tanto?

Não é possível definir motivos concretos, mas existem duas grandes possibilidades: a baixa autoestima e a insegurança. Muitas vezes, a pessoa está insatisfeita com si própria e acaba usando a internet e as redes sociais como ferramenta para extravasar essa insatisfação pessoal (leia mais em Incômodo excessivo com o outro: a causa pode ser você).

Os haters, de certa forma, acabam se aproveitando da “vulnerabilidade” que a exposição proporciona. Se observarmos, vamos perceber que grande parte dos ataques acontecem com pessoas públicas, como artistas por exemplo. Logo, eles usam da sensação de segurança que da internet para atacar aqueles que estão mais vulneráveis nesse meio.

Esses indivíduos, em conflito com si mesmos, projetam seu ódio nos outros devido a questões mal elaboradas dentro deles e que não conseguem lidar. Em busca de se sentirem melhores, acabam

atacando outras pessoas sem nenhum critério. O ataque os faz sentir mais poderosos por disseminar ódio, manipular e desestabilizar aqueles que estão sendo diminuídos.

Lidando com Haters

Bem, até aqui já podemos concluir que o objetivo dessas pessoas é bem simples: desestabilizar os outros para que se sintam bem com si próprios. Assim, para se proteger desses ataques, o ideal seria não dar atenção, principalmente quando parte de um perfil fake. Não podemos absorver aquilo que não é para nós! A pessoa está infeliz com ela mesma, então tenha claro que aquilo não é para você. Nem sempre, porém, é tão fácil manter frieza. Esse tipo de ataque pode gerar conflitos e sérios problemas de ordem psicológica. Por isso, alguns casos podem requerer o apoio de um psicólogo. Isso vai variar dependendo da situação e da pessoa que está sendo o alvo (saiba mais em Quando devo procurar um psicólogo).

Vale também lembrar que ofensas gratuitas e de conteúdo discriminatório em meio digital podem ser enquadradas como crimes virtuais e denunciadas em órgãos competentes.

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Stephanie Mascarenhas
Psicóloga clínica graduada pela Universidade FUMEC, especialista em relacionamentos atende pela abordagem psicanalítica em Belo Horizonte. Autora do Razão das Emoções, seus textos abordam as relações humanas e buscam a transmissão e troca de conhecimento pessoal e emocional.

COMENTÁRIOS