A importância da disciplina na infância

Esta prova curiosa e interessante foi desenvolvida pelo Dr. Marshmallow, um teste muito simples que viemos a conhecer graças ao filósofo, professor, pedagogo e escritor Jose Antonio Marina.

O teste, segundo afirma Jose Antonio Marina, consegue prever melhor o futuro acadêmico de muitas crianças do que alguns testes de inteligência. A prova é realizada com crianças de 5 anos e consiste em levá-los a uma sala em que se sentam frente a um cesto de doces com a seguinte recomendação “Você pode comer os doces enquanto eu estiver fora, mas se você não os comer até que eu volte, quando eu voltar você poderá comer todos e além disso lhe darei um presente”

Este simples gesto é uma boa forma de medir a disciplina, a recompensa de um esforço, a constância, paciência, etc. O teste confirmou com precisão as expectativas, conforme foi demostrado pelas crianças que fizeram o teste dos doces e que foram acompanhadas no seu comportamento acadêmico durante 16 anos.

As crianças que tinham comido os doces sem esperar o retorno do adulto costumavam ter piores resultados acadêmicos ou deixavam os estudos antes daqueles que, aos 5 anos, esperaram que o adulto voltasse para comer os doces.

Como fazer que os nossos filhos sejam mais disciplinados
Aprender a ser responsáveis e disciplinados nos ajuda a ir aprendendo pouco a pouco a ser mais autônomos, a ter mais estabilidade emocional e, portanto, maior maturidade.

Como podemos contribuir no desenvolvimento da disciplina de nossos filhos?

1. Comece a estabelecer disciplina desde o momento do nascimento. Deitá-lo e alimentá-lo sempre nos mesmos horários, por exemplo. Também é muito importante conversar muito com eles desde que nascem; isto lhes dá muita segurança.

2. Estabeleça as normas da casa. As crianças precisam saber desde pequenos que há regras a seguir; é muito importante para que aprendam a reconhecer que na vida sempre há limites. Isto não quer dizer que não existam dias especiais como aniversários, Natal, fins de semana na casa dos avós… nos quais possamos quebrar um pouco as regras.

3. É preciso dar-lhes responsabilidades conforme a sua idade. Recolher os brinquedos, ajudar a tirar a mesa, limpar a casa…

4. Reforços positivos. Uma criança deve ser encorajada sempre com frases positivas e nunca negativas. “Eu sei que você é bom nisso e vai fazê-lo muito bem”, por exemplo.

5. Estabelecer uma boa comunicação com seu filho. Que ele sinta que pode contar com você, que você o ama, que lhe diz como ele faz bem isto ou aquilo. Também é bom que negocie com seu filho, que não pense que pode fazer tudo o que quer mas também que não sinta que vive em uma ditadura permanente. Reforce a sua autoestima e isso o motivará a continuar fazendo as coisas direito, a tomar decisões em consenso com outras pessoas e de forma responsável.

6. Explique os porquês. Se você explicar que escovar os dentes é para que ele não tenha cáries ou que colocar o cinto de segurança no carro é para evitar acidentes, compreenderá melhor a situação e entenderá que a vida tem um porquê e que não é “porque eu digo”.

7. Ajude-os com o exemplo. Não há melhor ensinamento do que o exemplo. Faça o que você prega e o seu discurso será muito mais bem recebido.

Quisemos fazer uma homenagem, com este artigo, a Jose Antonio Marina, uma das maiores mentes pensantes do cenário espanhol.

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE É MARAVILHOSA

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS