A importância da inteligência emocional

A inteligência emocional é um dos principais fatores para ter sucesso na profissão, na relação interpessoal e para a automotivação. O desenvolvimento da inteligência emocional gera autogestão, consciência social e maior probabilidade no alcance de objetivos e metas de vida. Esta inteligência está relacionada a elementos fundamentais no comportamento, que independem do intelecto. A inteligência emocional é flexível e pode ser aprendida com a prática.
Algumas pessoas possuem essa inteligência mais elevada que outras, contudo fatores ambientais e treinamentos comportamentais podem ser desenvolvidos com o objetivo de desenvolver tal inteligência. Algumas características podem ser destacadas no comportamento de pessoas que possuem alto ou baixo quociente emocional, como por exemplo, agressividade, autoritarismo, resistência a mudanças ,perfeccionismo, impulsividade ,são atitudes que denotam baixa inteligência emocional.
Força de vontade, persuasão, facilidade em ouvir, consistência, carisma, organização, entusiasmo, decisão e paciência são algumas características que denotam um nível mais elevado de inteligência emocional. A inteligência emocional consiste na capacidade de perceber e interpretar as próprias emoções, bem como gerir e interpretar as emoções das pessoas que estão no nosso convívio social.


Alguns resultados científicos comprovam que a inteligência emocional é essencial para manter a saúde em um bom estado .(Hassan e colaboradores 2015)

Uma das características mais importantes da inteligência emocional é a capacidade de tomar decisões de forma adequada, controlar impulsos e de adaptar-se a situações distintas, ser empático ,inspirar e influenciar pessoas e gerir conflitos.
Pessoas que não trabalham suas capacidades de inteligência emocional apresenta dificuldade de relacionamento, de adaptação à mudanças, de lidar com situações imprevistas e intolerância.
Contudo, podemos adotar algumas atitudes no nosso dia a dia, para desenvolver aspectos emocionais importantes, como por exemplo:
– Refletir sobre seus valores. Saber o que é importante para você contribui para o seu autoconhecimento e ajuda a prever as suas próprias reações.
– Esperar um tempo antes de agir. Atrasar a sua reação emocional pode evitar desgastes desnecessários causados por uma “explosão”.
– Desenvolver a consciência de que os vínculos e os conflitos são passageiros aumenta a sua resiliência.
– Distancie suas distrações ao interagir socialmente. É impossível perceber as emoções do outro se você não é capaz de ouvi-lo.
Em suma, para desenvolvermos a inteligência emocional é necessário primeiro desenvolver um olhar para si, possuir o autoconhecimento dos nossos sentimentos, potencialidades e limitações, e assim poderemos nos relacionar de maneira saudável com o ambiente externo que nos cerca.

.

Compartilhar
Andressa Franceschi
graduada em Psicologia,com ênfase em Psicologia clínica,pelo Centro Universitário Celso Lisboa,Rio de Janeiro.( CRP 05/47436).Pós Graduanda em Psicologia Jurídica pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).Atualmente trabalho em uma Ong voltada para crianças carentes no Rio de Janeiro, onde desenvolvo projetos psicoeducativos visando a promoção dos Direitos Humanos.



COMENTÁRIOS