Você já sentiu alguma vez que não importa o que você fizer, nunca é suficiente? Você acha que poderia ter feito melhor? Você exige muito de si mesmo? Você se compara constantemente? A insatisfação crônica é tóxica e nos conduz ao perfeccionismo e à exigência. Saber como transformá-la em um sentimento positivo vai te ajudar a equilibrar sua vida com mais facilidade.

O sociólogo Zygmunt Bauman fala que nós vivemos em uma sociedade líquida e de consumo, que busca satisfazer as necessidades materiais de forma imediata. Isso faz com que os produtos nos quais gastamos acabem rapidamente, fazendo com que nossas necessidades nunca sejam satisfeitas e queiramos consumir mais para nos sentirmos completos.

Consequentemente, uma parte da responsabilidade pela grande insatisfação geral que vivemos está a nível social. Nós passamos o dia desejando coisas novas e, assim que as conseguimos, já queremos algo novo. Como sociedade de consumo que somos, praticamente toda novidade suscita um desejo.

“A metade da vida é desejo, a outra metade é insatisfação”.
-Carlo Dossi-

Como saber se você está insatisfeito?

A insatisfação crônica não se trata somente de um fenômeno social, mas também de um problema pessoal e individual. Pode ser que você sinta que, normalmente, nada te preenche, você se encontra pressionado por tudo o que está pendente e, uma vez que você alcança seu objetivo, não encontra recompensa alguma.

Além disso, se encontra atingido pela necessidade constante de aprovação por parte dos demais e pela sensação de que tal aprovação nunca é suficiente, sempre há algo pendente que pode ser melhor executado.

Se isso acontece com você, é provável que você também sinta que tudo te ressente e que você estabeleça objetivos impossíveis de alcançar. A comparação e a inveja também são duas características que frequentemente se associam à insatisfação. Quanto mais você se compara, mais insatisfeito está. O paradoxo da inveja é que ela te afasta do seu bem-estar psicológico em vez de te ajudar a alcançar seus desejos.

Se você sente que nada te satisfaz, pode ser que você tenha algum assunto pendente com a sua autoestima. A insegurança é outro ponto que está presente na sensação de insatisfação crônica. Ao duvidar, você pode sentir um grande medo de fracasso e, portanto, isso te impede de tomar decisões e avançar em seus objetivos.

No que a insatisfação pode ajudar?

A boa notícia é que a insatisfação tem duas faces. Uma, como acabamos de descrever, pode te ressentir, e a outra pode te ajudar a progredir. A insatisfação ocasional pode ser positiva, pode te fazer melhorar e superar a si mesmo em seu dia a dia. Em pequenas doses, te dá energia e motivação para não se deixar vencer pelos obstáculos da vida. Além disso, te empurra a não se conformar com o que foi estabelecido e a encontrar uma solução para os seus problemas.

A face amarga da insatisfação surge quando você permite que ela se instale em sua rotina e se deixa vencer pela exigência, pela comparação e pelo desejo de perfeccionismo e a ambição. Para fazer com que a insatisfação seja apenas ocasional, é necessário que você não caia na armadilha da comparação. Você é único e irrepetível e tem o mesmo direito que os demais têm de ter seus próprios gostos e seus pensamentos e emoções.

Por que a insatisfação que se prolonga por muito tempo acaba sendo tóxica?

A insatisfação pode dar sinais de que algo precisa ser mudado em você ou ao seu redor, e isso pode ser positivo caso você saiba aproveitar. Ela se torna ruim quando prolonga a queixa e o descontentamento, você acaba tendo uma vida de ambição e acaba se concentrando no passado ou no futuro em vez de focar no momento presente. A vontade de controlar tudo faz com que você não consiga relaxar e te faz esquecer do que é realmente importante: aproveitar as pequenas coisas.

“A ambição mais descontente pelo que não tem, do que satisfeita pelo que tem”.
– Fénelon-

Se você é uma das pessoas que quer que tudo seja perfeito, é provável que sua insatisfação possa ser nociva para você. Por mais que você se planeje, a vida tem seus próprios planos e ninguém pode controlar os acontecimentos nem como as pessoas ao seu redor vão agir.

Como se livrar da insatisfação tóxica?

Aqui estão algumas ideias para você se desfazer da insatisfação tóxica:

  • Não se compare. Você é uma pessoa singular e única: a comparação só te leva a idealizar os demais, em vez de se conectar com a parte real de si mesmo. Aceite-se como você é e agradeça pelo que você tem, assim você poderá se sentir com mais força para trilhar seu próprio caminho.
  • Deixe que suas necessidades sejam reais e não impostas: pense se o que você quer é por que realmente precisa ou se apenas deseja determinada coisa porque “deveria” ter.
  • Não tente provar nada aos demais: a única pessoa a quem você deve provar algo é a si mesmo. Prove a si mesmo que você se valoriza exatamente como você é.
  • Permita-se ao erro: você é imperfeito, assim como o resto da humanidade, portanto, use seus erros para aprender e tirar proveito deles.
  • Deixe que as suas emoções te guiem: procure um equilíbrio entre emoção e pensamento, sem esconder suas emoções. Somente se você der espaço para todas as suas emoções, vai conseguir lidar melhor com a sua insatisfação.
  • Desfrute do presente: sua vida está no presente, no aqui e no agora, viva-a com consciência e plenitude.

A confiança em si e no que está por vi nutre sua alma e seu corpo. Se você propiciar flexibilidade para a sua vida, poderá se livrar mais facilmente do controle e da necessidade de perfeição que arrasta a insatisfação crônica. Assim, você vai aprender a se amar com seus defeitos e suas virtudes para poder soltar sua exigência e ser mais feliz consigo mesmo e com os demais.

Imagem de capa: Shutterstock/aldarinho

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE E MARAVILHOSA

Compartilhar


RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS