Por Raquel Brito

O poder terapêutico da literatura é surpreendente. Naqueles momentos em que somos tomados pela tristeza, a ansiedade e o desgosto, ler livros e poesias pode ajudar a transformar os sentimentos, emoções e pensamentos.

Graças às letras podemos compreender nosso próprio estado de ânimo e melhorar nosso comportamento de forma profunda pois, de alguma forma, podemos nos encontrar nas folhas de uma boa história ou de uma bela poesia.

O cérebro tem a capacidade de experimentar o que lemos e de empatizar com as palavras que nos ajudam a dar nome e a expressar o que acontece dentro de nós. Este fato foi documentado de forma profusa desde a época grega dourada.

É curioso como Aristóteles já percebeu isso há vários séculos quando nos convida a realizar reflexões sinceras e expressivas sobre aquilo que as pessoas com o dom da escrita colocavam em palavras. De forma semelhante, em 1904, Kafka fez esta reflexão na sua Carta a Oskar Pollak:

“Se o livro que lemos não nos desperta como um punho dando um soco no crânio, para que lê-lo? Para que nos faça feliz? Meu Deus, também seriamos felizes se não tivéssemos livros, e poderíamos, se fosse necessário, escrever nós mesmos os livros que nos tornassem felizes.

Mas o que devemos temer são esses livros que se precipitam sobre nós como o azar e que nos perturbam profundamente, como a morte de alguém que amamos mais do que a nós mesmos, como o suicídio. Um livro precisa ser como um pico de gelo que quebra o mar congelado que temos dentro de nós”.

ansiedade3

Os livros são um doce remédio que nos aproxima da “cura”

A literatura é um doce remédio que nos aproxima da “cura”, pois muitas vezes nos permite normalizar e validar como nos sentimos, assim como raciocinar de forma correta e saudável.

Encontrar exemplos que nos permitem arrancar a nossa própria dor é uma benção terapêutica profundamente coadjuvante no processo de melhoria e de “cura emocional”. Em parte porque educa e nos ajuda a compreender o que acontece.

Isto é, nos dá ferramentas e recursos para estimular nossa lucidez em momentos de bloqueio. Tendo isto em mente, a associação The Reading Agency e a Society of Chief of Librarians resolveram selecionar e compilar os melhores livros e poesias para combater a ansiedade e a depressão.

Trazemos aqui alguns dos elementos dessa listagem que vai desde o “Manual para se sentir bem” de David D. Burns, até “Breve história do mundo” de Ernst H. Gombrich, passando por outras obras de humor como as do autor Bill Bryson.

  • ‘As aventuras de Tom Sawyer’, de Mark Twain. A curiosidade e a vontade de aventura desta história promovem a exploração e a vontade de alcançar alguma coisa diferente na vida.
  • ‘O Pequeno Príncipe’, de Saint-Exupèry. Seja o momento que for das nossas vidas, sempre é possível tirar excelentes ensinamentos de amor, amizade e vida interior.
  • ‘História de um corpo’, de Daniel Pennac. Este livro fala da dor, do medo, da morte, da doença e de outros tantos sofrimentos com os quais podemos nos identificar.
  • ‘O mundo de Sofia’, de Jostein Gaarder. Este livro maravilhoso nos incentiva a continuar caminhando e a criar interesse pelos diversos aspectos das nossas vidas íntimas.
  • ‘Vidas Alheias’, de Emmanuel Carrère. Aqui são narradas várias histórias que nos ajudam a compreender as diferentes realidades com as quais nos relacionamos, considerando o fato de que cada pessoa tem uma história que precisa ser levada em conta.
  • ‘O homem em busca de sentido’, de Viktor Frankl. Um clássico que ajuda você a refletir de forma profunda sobre a sua vida e as dificuldades com as quais é preciso lidar.
  • ‘O patinho feio’, de Boris Cyrulnik. Uma vida complicada não implica se afundar, sempre é possível seguir adiante: este é seu ensinamento e o fiel princípio que permeia a resiliência do ser humano.
  • ‘A mulher que não queria amar’, de Stephen Grosz. Aqui são narradas histórias de pacientes que resolveram seus problemas.
  • ‘Manual para se sentir bem’, de David D. Burns. Este livro apresenta um tratamento não farmacológico para a depressão.
  • ‘Breve história do mundo’, de Ernst H. Gombrich. Uma autêntica reflexão sobre a transformação da história e sua implicação nas nossas vidas.
  • ‘Não se renda’, de Mario Benedetti. Este poema promove o fortalecimento emocional de que todos precisamos em momentos de desamparo.

Concluindo, a literatura pode ser tremendamente transformadora. Por quê? Porque através dela conseguimos organizar o caos e a desordem interna que reina em nós após momentos ruins ou episódios traumáticos.

Por todos estes motivos, recomendo que você não perca a informação que lhe ofereço neste artigo, pois um bom livro ou uma bela poesia pode fazê-lo reconhecer, aliviar e curar, com o passar do tempo, a dor emocional que em certos momentos o envolve em um mar congelado.

Bibliografia de interesse:

The Reading Agency; Society of Chief Librarians (2015). Reading Well Books on Prescription: Evaluation 2014-15. October 2015. 36 p. Disponível em: http://readingagency.org.uk/news/RWBOPEvaluationReport2015.pdf

Baikie, K., & Wilhelm, K. (11 de Agosto de 2005). Emotional and physical health benefits of expressive writing. Obtido de BJPsych Advances.

Imagem de capa: Shutterstock/Ko Backpacko

TEXTO ORIGINAL DE A MENTE É MARAVILHOSA

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS