Por Marilia Marasciulo

Muito mais do que uma moda entre blogueiras #plenas: a palavra em inglês para a técnica de meditação sugere que a mente (mind) está completamente (fully) atenta ao que está acontecendo dentro e fora do corpo.

“Você aprende a se relacionar com seus pensamentos, emoções e sensações de uma forma diferente”, escreve a geneticista comportamental Susan L. Smalley, fundadora do Mindful Awareness Research Center da Universidade da Califórnia, Los Angeles (Ucla). A ideia é que, ao alcançar tal estado, o indivíduo seja capaz de observar pensamentos e sensações com curiosidade, mas sem se deixar levar por eles.

A técnica foi popularizada no Ocidente pelo médico norte-americano Jon Kabat-Zinn. Hoje, existem centenas de estudos sobre a eficácia da meditação na redução de cortisol no corpo, o hormônio do estresse.

Pesquisas feitas pela neurocientista Sara Lazar, da Universidade Harvard, mostram que a técnica pode influenciar no aprendizado e processamento de memórias. Segundo ela, 30 minutos de meditação por dia são suficientes para observar resultados positivos.

Imagem de capa: Shutterstock/Alexey Yuzhakov

TEXTO ORIGINAL DE REVISTA GALILEU

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS