Mitos e verdades sobre o suicídio.

O suicídio é um problema mais recorrente do que imaginamos, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) ocorrem 800 mil suicídios todos os anos no mundo. No Brasil, a região Sul tem os maiores índices. 
Embora os dados sejam alarmantes é possível fazer a prevenção, pelo menos em parte, já que o suicídio é um ato voluntário que acontece numa situação de extremo sofrimento.

O suicídio não é o desejo em morrer, mas é não saber mais como viver e encontrar na morte a solução. Por isso, é importante ficar atento aos sinais que as pessoas dão, o famoso ditado que quem quer se matar não avisa é mito. A maioria das pessoas com ideias de morte comunica seus pensamentos ou intenções, dão sinais, e até falam que querem morrer, dizem que não valem pra nada.

Algumas frases nos ajudam a ficar em alerta: “Preferia estar morto”, “Não posso fazer nada”, “Não aguento mais”, “Sou um perdedor e um peso para os outros”, “Os outros serão mais felizes sem mim”. Se estas frases estiverem acompanhadas de sentimentos de desesperança, desamparo, desespero, depressão significa que é preciso investigar cuidadosamente o risco de suicídio. 
5 mitos sobre o suicídio:  

1) MITO: Quem quer se matar não avisa. 
FATO: As pessoas que pensam no suicídio, normalmente, comunicam direta ou indiretamente que querem morrer. 
2) MITO: Perguntar sobre suicídio pode induzir a pessoa a isso. 
FATO: Conversar com a pessoa de forma sensata e acolhedora reduz o nível de desespero suicida. 
3) MITO: Quando a pessoa fala que não tem mais razão para viver, devo mostrar que tem outras pessoas que sofrem mais que ela. 
FATO: É preciso mostrar respeito, cuidado, compaixão, afeição, e, sobretudo, ouvir sem críticas e julgamento. 
4) MITO: Devo dizer que tudo vai ficar bem. 
FATO: A pessoa com ideia suicida precisa da ajuda de profissionais (psicólogo, psiquiatra), a ameaça suicida precisa ser levada a sério. A pessoa que pensa em morrer necessita de apoio emocional de um profissional. 

5) MITO: Só pessoas com distúrbios mentais cometem suicídio. 
FATO: Vários fatores contribuem para que a pessoa cometa suicídio. As pessoas com distúrbios mentais estão no grupo de risco para comportamento suicida, no entanto, isso não significa que todos que tenham algum distúrbio mental pensam em suicídio, tampouco que somente as pessoas com distúrbios mentais se suicidam. O comportamento suicida é um momento de extremo sofrimento, e não, necessariamente, um distúrbio mental.

Portanto, a ameaça de suicídio deve sempre ser levada a sério, pois a pessoa que pensa de maneira drástica e vê a morte como o único recurso está em extremo sofrimento e precisa de ajuda.

Compartilhar
Angelica Neris
Olá, sou psicóloga e professora de língua espanhola. Trabalho como psicoterapeuta de casais, famílias, indivíduos e grupos, além da psicoterapia atuo em projetos de saúde laboral, psicologia do esporte e do exercício e orientação profissional.



COMENTÁRIOS