o falar de Psicologia, as opiniões são sempre muito variadas e divididas: alguns dizem não poder viver sem o seu psicólogo; outros acham completamente desnecessário ir a um. Muitas vezes, algumas dessas opiniões, de ambos lados, são fundamentadas em mitos. O  Incrível.club apresenta 7 mitos sobre os psicólogos. Veja se você acredita em algum deles.

O fato de um psicólogo eventualmente ter uma história de vida complicada não significa que seja traumatizado e procure uma solução para os seus problemas por meio do estudo da Psicologia. Eles se interessam pelo outro e é lógico que o estudo pode gerar perguntas sobre eles mesmos, mas não é possível generalizar.

Um psicólogo não é um amigo e um amigo não ocupa o lugar de um psicólogo. O profissional pode ir mais longe, pode ver coisas ditas no não dito. É alguém que consegue se distanciar emocionalmente para poder ajudar o paciente, entender o problema e encontrar caminhos. Afinal, ele se preparou para isso.

Uma das normas éticas da psicologia é respeitar o espaço pessoal de cada um, portanto os psicólogos não saem por aí analisando quem não é um paciente. Eles não leem a mente de ninguém; aproveitam o tempo livre justamente para não fazer isso e preferem fugir dos conflitos inconscientes das pessoas com quem se relacionam.

Os psicólogos são pessoas normais e têm problemas e incertezas como qualquer um. Que eles saibam conceitos de Psicologia não significa que eles não sofram e/ou precisem de um amigo. Eles também podem e costumam ser pacientes de outros psicólogos, e isso muitas vezes os ajuda a serem melhores profissionais.

Na Psicologia, a escuta é ativa. Os analistas interpretam, indicam e perguntam para que o paciente possa questionar as próprias certezas e repense algumas coisas. Um psicólogo também pode ficar em silêncio mesmo quando tem muitas palavras prontas para dizer.

Uma pessoa pode ir ao psicólogo para entender o que está acontecendo com ela, por algum medo, algum problema de adaptação, uma necessidade de autoconhecimento e por muitas outras razões. Nem o psicólogo nem o paciente são pessoas loucas. Afinal de contas: quem pode definir o que é loucura? Muita gente faz análise simplesmente para se sentir mais leve e lidar com as dificuldades do dia dia, que todos temos.

Os psicólogos não são médicos, são profissionais de saúde. É o psiquiatra que receita medicação. Isso não significa que o psicólogo não conheça os efeitos dos remédios. É importante que eles conheçam seus efeitos para poder acompanhar melhor o processo pelo qual um paciente está passando.

Imagem de capa: Shutterstock/Aniwhite

Tradução e adaptação Incrível.club

Compartilhar


RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS