Mulher mostra selfies do antes e depois de uma crise de pânico

Com informações do Mega Curioso

A britânica Amber Smith sofre de crises de pânico constantes. E, para expor essa temática nas redes sociais, a fim de que os usuários tivessem conhecimento da doença, ela retratou sua própria crise com duas selfies “antes e depois”.

A ideia de Amber foi justamente abrir uma discussão a respeito do assunto, pois, quanto mais se sabe sobre transtornos e condições mentais, mais fácil fica reconhecer quando algo desse tipo acontece e, por consequência, procurar tratamento.

Expor esse tipo de condição é também uma maneira de tirar a característica vergonhosa que acompanha quem tem alguma doença mental. A verdade é que, da mesma forma que uma pessoa com amidalite não tem vergonha, outra com crises de ansiedade, depressão, bipolaridade ou síndrome do pânico também não deveria ter, e se tem é muito mais por uma questão de estigma social mesmo.

crise_de_panico

“Deus sabe por que eu estou fazendo isso, mas as pessoas precisam de algumas verdades.
Foto de cima: O que eu mostro para o mundo através das mídias sociais. Arrumada, maquiada, com filtros em abundância. O meu lado ‘normal’.
Foto de baixo: Tirada esta noite, pouco tempo depois de sofrer uma crise de pânico por causa da minha ansiedade. Também é o meu lado ‘normal’ que a maioria das pessoas não vê.


Eu estou tão cansada do fato de que estamos em 2016 e ainda há muito estigma em torno da saúde mental. Me dá nojo ver que tantas pessoas são tão ignorantes e preconceituosas com o tema. Dizem que 1 em cada 3 pessoas vai sofrer com uma doença mental em algum momento da sua vida. 1 em 3! Sabe a quantas pessoas isso equivale em todo o mundo?! E mesmo assim eu estive lutando contra a ansiedade e a depressão durante anos e anos e há ainda pessoas que fazem comentários como ‘você vai superar isso’, ‘você não precisa de comprimidos, basta ser mais feliz’, ‘você é muito jovem para sofrer com isso’.
FODA-SE. Fodam-se todas vocês, pessoas com mentalidade pequena que pensam que porque eu pareço fisicamente ‘bem’ eu não estou lutando contra um monstro dentro da minha cabeça todos os dias.
Alguém chegou a me dizer um dia ‘você não é jovem demais para estar sofrendo de ansiedade e depressão? Com a sua idade, qual motivo você tem para se deprimir?”. Wow, apenas wow.
Eu sou uma pessoa forte, eu já passei por um quinhão de porcarias na vida (o mesmo que qualquer outra pessoa passa) e vou ficar bem. Tenho a melhor família e amigos em torno de mim e sou grata todos os dias por eles terem paciência para me ajudar e me apoiar.
Para quem está passando pela mesma coisa, por favor, não sofra em silêncio. Há muito apoio em torno – não tenha medo de pedir ajuda.
É por isso que eu não posso enfatizar mais que não custa nada ser legal com os outros. Não intimidar os outros, não colocá-los para baixo e o mais difícil de tudo (por todos nós fizemos isso em algum momento) não julgar outra pessoa. Somos todos humanos, independentemente de idade, raça, religião, riqueza, trabalho. Então vamos crescer juntos em vez de colocar os outros para baixo.
Paz & Amor
Editado: Por favor, não tenha medo de compartilhar isso, é necessário que haja mais consciência. Quanto mais consciência existir, menos as pessoas vão sofrer em silêncio”.

FONTECatraca Livre
Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS