Porque assistimos tantos indivíduos emburrados em nosso dia a dia? Despertam mal-humorados, de cara feia, não dão bom dia para ninguém, saem na rua, nem olham para as pessoas ao seu lado, para não ter o compromisso de falar um olá, ao chegar no trabalho estão com a cara fechada e não cumprimentam ninguém.

Entre os falantes de inglês, existe até um nome para isso: “resting bitch face” (RBF).  Expressão, que significa cara de desprezo, um fenômeno que contamina homens e mulheres, ou seja, pessoas que olham com cara feia para os que estão a sua volta.  Mas isso é uma atitude errada, que deve ser corrigida, já que só traz a má fama aos lugares por causa do azedume e da cara amarrada de algumas pessoas, que são incapazes de oferecer um sorriso.

No ambiente de trabalho, trata-se de um equívoco conceitual que gera problemas para o executivo ou gestor carrancudo e para a empresa. Para o indivíduo, se caracteriza um estado constante de tensão, que mostra o corpo sujeito a pressões, como aspereza, contração muscular, respiração ofegante, etc, o que termina causando desconforto biopsíquico, que contamina todo o ambiente.

Não se pode confundir esse comportamento como gerenciamento de pessoas, com uma sisudez que expõe sempre um semblante carregado e enfurecido como maneira de impor comando ou aparentar eficiência. Líderes não precisam impressionar ninguém com expressões ameaçadoras, pois cara de poucos amigos não significa autoridade e nem competência.

É evidente que nenhuma pessoa é compelida a cumprimentar quem não queira. Entretanto, o cumprimento, é – um código universal – que expressa coleguismo, civilidade e bom relacionamento. E se alguém não quiser respeitar esse código, será tratado da mesma forma que trata os outros.

Por outro lado, não espere dos mal-humorados crônicos cumprimentos de bom dia, boa tarde, boa noite e muito menos um sorriso espontâneo, uma vez que não se pode saber a reação desse tipo de pessoas, que às vezes, parece que não te viu, mas dependendo de quem está contigo, ele vai te dar beijinhos ou até puxar um bate papo.

Também nesses tempos de egocentrismo acentuado, não se cumprimenta por não querer enxergar que outro existe. Além disso, muitas pessoas têm sofrido algum tipo de humilhação e por esse motivo se antecipam a qualquer ato antissocial, onde a descortesia toma conta dos ambientes de convívio familiar, escolar, trabalho, religioso e social.

Não perca a sua paz por causa de cara feia e pela falta de cumprimentos de determinadas pessoas, visto que ela depende das nossas condições internas. Então, não abaixe a cabeça ao andar pela rua, olhe nos olhos das pessoas ao cumprimentá-las, perceberá que o mundo é bem melhor nessa perspectiva. A vida está sempre cercada de coisas bonitas, pois também faz parte da maturidade administrar com bom humor e destreza – o olhar de gente enfezada ou de atitudes descortês.

Imagem de capa: Shutterstock/HBRH

 

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Jackson César Buonocore

Jackson César Buonocore
Sociólogo e Psicanalista


COMENTÁRIOS