O amor é cego: animação traz reflexões sobre o narcisismo; assista

Na animação francesa “Cupidon, le Film” um cupido atrapalhado se distrai ao ver uma borboleta e acaba jogando duas flechas em um mesmo rapaz. Essa desastrosa ação faz com que o homem atingido vire um narcisista que nutre uma enorme e cega paixão por si próprio.

Criado pelos cineastas Simon Bau, Clémentine Choplain, Marie Ecarlat, Benoît Huguet e Julien Soulage, o curta-metragem busca mostrar que amor próprio é essencial, mas é preciso equilíbrio para que ele não seja sinônimo de excessos e fixações exageradas.

Assista ao filme completo no player abaixo:

TEXTO ORIGINAL DE CATRACA LIVRE

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS