O demônio da depressão

A tristeza é uma reação natural às situações de vida, pois sentir-se abatido de tempos em tempos é algo que faz parte da nossa vida. Mas quando o vazio e a desesperança invadem o nosso cotidiano, de modo constante, arrancando a motivação e o sentido da vida, isso pode ser o “demônio” da depressão. Essa dolorosa experiência humana, nos autoriza a usar o termo demônio no sentido metafórico ou figurado.

Quando o demônio da depressão toma conta da vida, deixamos de viver o presente e de pensar o futuro. Algumas pessoas descrevem a depressão – como “viver num buraco negro” – ou ter um sentimento de desgraça permanente. Soma-se a isso, o esgotamento físico e mental, o forte sentimento de culpa, inutilidade e irritabilidade, que dilaceram as atividades da vida diária, como concentrar-se no trabalho, nas tarefas vitais e até mesmo no comer e no dormir.

Andrew Solomon, autor do livro O Demônio do Meio-Dia – Uma Anatomia da Depressão, tem uma definição desse “buraco emocional”: “Tornar-se deprimido é como ficar cego, a escuridão no início gradual acaba englobando tudo; é como ficar surdo, ouvindo cada vez menos até que um silêncio terrível o envolve, até que você mesmo não pode fazer qualquer som para penetrar o silêncio. É como sentir sua roupa lentamente se transformando em madeira, uma rigidez nos cotovelos e joelhos progredindo para um terrível peso e uma isolante imobilidade que o atrofiará e, dentro de algum tempo, o destruirá”.

A depressão é uma condição muito pessoal, que é motivada por uma série de razões, que geralmente são uma combinação de fatores biológicos, psicológicos, sociais e ambientais. Alguns desses fatores podem nos deixar mais vulneráveis à depressão: a morte de um membro da família, as dificuldades financeiras e a perda de emprego. Outro sintoma grave são os pensamentos de morte, por isso – qualquer conversa de pessoas que conhecemos que dê indícios de suicídio, isso é um sinal de alerta, é um grito de socorro.

Cada pessoa possui à sua maneira de exorcizar os seus demônios. Portanto, o demônio da depressão também tem cura através de uso de adequado de medicamentos que alivia os sintomas da doença, tendo como importante aliado a psicoterapia, que trabalha a origem da depressão. Além disso, o apoio espiritual, da família e dos amigos ajudam na estabilização do humor e numa vida emocionalmente mais equilibrada.

Compartilhar
Jackson César Buonocore
Jackson César Buonocore Sociólogo e Psicanalista



COMENTÁRIOS