O fenômeno crise

 

A crise é um fenômeno temporal, que gera determinada instabilidade, não só financeira e atinge todas as áreas desde o emocional ao físico, até por que, existem uns paralelos entre os efeitos da crise e os impactos da estagnação econômica sobre o emocional dos profissionais brasileiros e entre tudo, como seria possível estar bem emocionalmente, não é?!

A crise não é precisamente o caos, o imprevisível, mas sim, uma construção de um modelo de passagem do estado anterior para o estado posterior. É um fenômeno organizacional, ou seja, consubstancial a organização, pelo menos enquanto o sistema não se represente a si mesmo por meio desse antagonismo necessário. Pode ser entendida como manifestação inicial, súbita ou até mesmo um fator desencadeador e agravante de doenças físicas ou mentais, tendo como consequência graves à evolução negativa das emoções e sentimentos.

Crise consiste em um processo de mudança e exige um esforço para a busca do equilíbrio ou estabilidade. A cada instante, todo sistema desenvolve, paralelamente, dois processos de regulação comportamental, em geral, coordenados mutuamente, de modo muito frouxo a regulação funcional, ou sincrônica, e regulação transformacional, ou diacrônica.

Crise que mais facilmente percebemos, “no espírito dos homens” do que na natureza, em outras palavras, nas representações por nós formuladas, sobre os comportamentos dos sistemas que temos de conhecer mais profundamente do que os próprios sistemas.Como lidar com todas as questões de certo desequilíbrio? Principalmente, como você está encarando as limitações, pois em momentos da crise acontecem perdas e ganhos que direta ou indiretamente interferem em todos os processos do desenvolvimento humano, desde da infância a velhice.

Manter a serenidade e calma diante de uma crise, seja ela econômica ou emocional, depende diretamente do grau de inteligência emocional de cada indivíduo envolvido, também tem a ver com a sua experiência de vida. Os mais velhos, que já passaram por muitas fases econômicas, sabem que tudo acaba se ajeitando no final e ninguém morre por causa de uma crise. A única coisa realmente proibida é se render, perder as esperanças. É preciso ter espírito de luta. É imprescindível procura ajuda de um profissional qualificado no trabalho em saúde mental e emocional.

O que deve ser levado como lição; é que não há escolha a não ser se recuperar dos golpes, procurando alternativas para se reerguer e perceber que é muito importante contar com a ajuda, seja de quem for, porém, o que realmente importa são as lições de superação que você aprende de si mesmo. É ver a crise como um portal para uma realidade cheia de oportunidades, seja fortalecendo e tendo a possibilidade de estar mais preparado quando vierem tempos melhores, causando transformação de mentalidade e amadurecimento.

Compartilhar
Eanes Moreira dos Santos
Psicóloga Clínica - CRP 09/5798. Graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás – PUC/GO, Especialista em Terapia de Casais e Família pela IEP/PUC-GO e Pós-graduada em Saúde da Família, pela UniversidadeFederal deGoiás - UFG.Atende em consultório particular com Psicoterapia Infantil e Casais, Avaliação Psicológica, Orientação Vocacional, além de participar dos projetos Descobrindo Crianças, Cativare e ValorizaPsie. É autora de dois Grupos de estudos, Equipe Multiprofissional em Políticas Públicas e o Terapia Pais e filhos.



COMENTÁRIOS