O papel da família na dificuldade da aprendizagem infantil

Caracterizada através de fatores biológicos, cognitivos e sociais a dificuldade de aprendizagem deve ser estudada de forma distinta, pois cada criança é única e seu perfil possui contornos diferenciados, por isto, é importante, os pais e a família não focarem apenas em um sintoma, e nem realizar comparações com os outros filhos ou outras crianças.

Sabe-se que nunca há uma causa única, para o fracasso escolar, mas sim, uma conjunção de valores que interagem, uns sobre os outros, que imobilizam o desenvolvimento infantil.Toda criança tem seus pontos fortes e seus pontos fracos na aquisição do conhecimento, algumas têm capacidade de ouvir e possuem um processo de assimilação ágil, que faz com que administrem muitas informações apenas ao ouvir, já outras, têm a facilidade com o visual, aprendem melhor lendo e escrevendo.

A criança com dificuldade de aprendizagem pode ser beneficiada com o apoio receber ajuda de toda família e da escola, permitindo sair da posição de portador de um problema do grupo.

Saber reconhecer quando a criança apresenta alguma dificuldade na aprendizagem, já é o primeiro passo para entender sua limitação específica e para não rotular de “lenta” ou “preguiçosa”. Estes rótulos exercem um efeito negativo sobre as competências que estão preservadas, uma vez que abalam a autoestima da criança.

Quando os pais e a escola conseguem oferecer um diagnóstico e ajuda adequada, muitas crianças demonstram melhora significativa e observa-se uma sensível redução nos conflitos emocionais resultantes do contínuo fracasso.

Uma dificuldade de Aprendizagem não significa necessariamente uma deficiência mental ou orgânica, indica talvez, uma condição especifica, onde existem aspectos que precisam ser estudados e trabalhados para se obter melhor rendimento cognitivo e emocional.

Portanto, a família pode contribuir com a criança, tendo cuidado para não rotular, com falas negativas, observar todas as dimensões que estão gerando problemas na aprendizagem, sejam elas, comportamentais, cognitivas, emocionais, biológicas e sociais.

O reconhecimento e o elogio são muito importantes para que a criança ultrapasse essa fase difícil de forma tranquila para seu melhor desempenho escolar.

É importante a participação e olhar diferenciado no ambiente familiar.

Toda criança tem seus pontos fortes e seus pontos fracos na aquisição do conhecimento. Algumas têm capacidade de ouvir, assimilam muitas informações simplesmente ouvindo. Outras têm mais facilidade com o visual, aprendem melhor lendo. As questões se complicam quando é oferecido para a criança apenas uma forma de aprendizagem, que ás vezes é justamente aquela na qual ela apresenta dificuldade.

As questões se complicam quando é oferecido para a criança apenas uma forma de aprendizagem, que ás vezes é justamente aquela na qual ela apresenta dificuldade.

Quando a criança apresenta algum tipo de dificuldade de aprendizagem seja elas biológico ou emocionais, tende a tornar piores em resposta a um ambienta cheio de ruídos, a uma família ruidosa. O nível de funcionamento dos pais sempre altera o problema. Por exemplo, a criança hiperativa se torna mais hiperativa, a deprimida mais deprimida, e assim sucessivamente.

Compartilhar
Eanes Moreira dos Santos
Psicóloga Clínica - CRP 09/5798. Graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás – PUC/GO, Especialista em Terapia de Casais e Família pela IEP/PUC-GO e Pós-graduada em Saúde da Família, pela UniversidadeFederal deGoiás - UFG.Atende em consultório particular com Psicoterapia Infantil e Casais, Avaliação Psicológica, Orientação Vocacional, além de participar dos projetos Descobrindo Crianças, Cativare e ValorizaPsie. É autora de dois Grupos de estudos, Equipe Multiprofissional em Políticas Públicas e o Terapia Pais e filhos.



COMENTÁRIOS