A descrição a seguir é apenas um pequeno esboço superficial da natureza e do funcionamento dessa complexa parte da psique humana. O inconsciente é uma parte enigmática da mente, portanto fundamental para a vivência de uma pessoa. Dessa forma, o seu conhecimento notifica a sua manifestação em praticamente todas as nossas atitudes, opiniões, sonhos, lapsos de memória, trocas de palavras das quais se apresentam no nosso dia a dia.
Esse assistente incrivelmente competente da consciência que mora nas profundezas da mente, denuncia assim sua existência, e desde ações práticas como dirigir, ler, escrever, está no comando, mesmo que não se dê conta disso. Temos um cérebro seletivo, ou seja; não consegue permanecer atento a tudo o tempo todo, a não ser naquilo em que está interessado. Por isso, só nos damos conta de pensar, por exemplo, na sola do pé direito ou no lóbulo da orelha esquerda, no momento em que direcionamos a nossa atenção, e no entanto eles estavam ali.
Apesar de muitas questões que nos rodeiam, a consciência não acompanha a magnitude de percepções do inconsciente. Dessa forma, podemos considerar o inconsciente como uma parte da mente responsável pelo conjunto dos processos mentais que ocorrem, sem que haja intervenção da consciência, do pensar racional elaborativo.
Nossos sentidos captam as informações do ambiente a todo momento. Apenas uma pequena parcela dessas percepções são visíveis à consciência, ficando a grande parte no inconsciente.  Assim, o inconsciente, é tudo aquilo de que já tive consciência mas esqueci, tudo aquilo que eu conheço por meio da realidade objetiva, mas não penso em um determinado momento, tudo que foi percebido por meus sentidos e minha consciência não registrou, tudo o que involuntariamente, penso, sinto, desejo, relembro e faço.

Parece mágico tudo o que o inconsciente faz, mas apesar de se manifestar tão sutilmente, é essencial para a nossa sobrevivência.

Ideias, necessidades ou desejos que em parte não são aprovados pela realidade, sentimentos dolorosos que não puderam ser acolhidos e integrados ficam represados no inconsciente. Portanto, nesse curioso e misterioso processo, vamos expressando no presente, o que mais tarde se tornará de uma forma ou de outra a manifestação inconsciente de nossas vidas.
Como dizia C. G. Jung: ” MINHA VIDA É A HISTÓRIA DE UM INCONSCIENTE QUE SE REALIZOU. TUDO O QUE NELE REPOUSA ASPIRA A TORNAR-SE ACONTECIMENTO, E A PERSONALIDADE , POR SEU LADO, QUER EVOLUIR A PARTIR DE SUAS CONDIÇÕES INCONSCIENTES E EXPERIMENTAR-SE COMO TOTALIDADE “.
Imagem de capa: Shutterstock/frankie’s
TEXTO ORIGINAL DE GRAÇA DARZI

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS