O psicólogo e sua intervenção na promoção da saúde e do bem estar na sociedade.

O psicólogo é um profissional da saúde habilitado e com inscrição na Ordem dos Psicólogos, possuindo conhecimento e domínio de competências específicas para trabalhar determinadas queixas ou necessidades apresentadas por indivíduos, grupos e organizações, tendo como objetivo a melhoria da qualidade de vida e do bem estar psicobiofísico, social, relacional e espiritual do paciente ou cliente.

Seu trabalho abrange todas as esferas da vida: individual, familiar, profissional e social, e em todos os contextos e fases do desenvolvimento humano: infância, adolescência, adultez e velhice, bem como em situações especificas de prevenção e de crise já deflagrada.

A intervenção profissional do psicólogo e seu campo de atuação especifico englobam condições de reabilitação, prevenção, diagnose e suporte psicológico em diferentes situações e contextos, sejam estes individuais ou comunitários, utilizando instrumentos específicos de avaliação, tais como os testes e técnicas psicológicas, dentre outros.

Algumas atividades psicológicas podem também ser desenvolvidas online através do e-mail, msn e skype. Para este fim, o psicólogo, em seu site de atendimento online, deve apresentar o selo do Conselho Federal de Psicologia. Portanto, sites de Psicologia que não apresentam o selo do CFP não podem realizar procedimento online.

Atuação:

O psicólogo atua nas áreas clinica, social e comunitária, organizacional e do trabalho, hospitalar e da saúde, jurídica, escolar e educacional, bem como em ensino e pesquisa em Psicologia. Um dos pontos de atuação do psicólogo de relevante importância trata-se da psicoeducação e psicoprevenção e o trabalho realizado na construção de politicas públicas que beneficiem a comunidade. Em vista disto, o psicólogo tem papel fundamental na promoção da saúde e do bem estar em contexto individual e social.

Quando procurar o psicólogo?

Diante de uma problemática na vida do individuo, via de regra, o psicólogo é o ultimo a ser procurado.

Culturalmente, existem algumas crenças que permeiam a figura do psicólogo, tais como: “quem procura um psicólogo é porque não é normal” ou “a pessoa não tem a capacidade de resolver os seus próprios problemas”, sendo portanto, classificada como pessoa “incompetente”, conflituosa, problemática, frágil ou com poucos recursos internos.

Hoje, este panorama já está começando a mudar e as pessoas percebem até mesmo como condição de status frequentar um psicólogo. Na realidade os motivos deveriam ser outros, como o autoconhecimento, por exemplo.

Outra questão que dificulta a “cultura do psicólogo” é que a acessibilidade deste profissional é restrita a alguns grupos sociais com determinadas condições socioeconômicas.

Infelizmente boa parte da população não tem condições econômicas de ser acompanhada por um profissional da Psicologia, mas com certeza, todos precisamos, visto que o interessante seria mesmo um trabalho preventivo, além do autoconhecimento para uma vida mais satisfatória e feliz e não apenas quando o problema já foi deflagrado. Infelizmente não temos (ainda)uma cultura preventiva no tocante às questões psicológicas.

 

Em quais situações um psicólogo pode ajudar?

O profissional da Psicologia possui qualificação profissional dentro do âmbito de sua competência para ajudar em:

– Problemas emocionais e afetivos;

– Traumas;

– Dificuldades interpessoais e de relacionamento;

– Recursos para desenvolvimento da resiliência;

– Orientação psicológica;

– Aconselhamento psicológico; – Distúrbios psicológicos ou psiquiátricos tais como: transtornos de ansiedade, depressão, fobias, síndrome de estresse pós-traumático, distúrbios alimentares.

– Problemas de aprendizagem e inclusão escolar;

– Dificuldades na escolha profissional;

– Dificuldades familiares;

– Problemas e dificuldades concernentes a fases especificas do desenvolvimento humano, tais como a adolescência, senescência, etc e seus desafios;

– Problemas e dificuldades em momentos específicos da vida tais como matrimônio, nascimento de filho, viuvez, aposentadoria;

No tocante ao aconselhamento psicológico, gostaria de ressaltar que o psicólogo não toma decisões pelo paciente, mas avalia, questiona e proporciona através da reflexão e percepção diante das possibilidades que se apresentam, bem como de suas consequências, o que este deseja para sua vida e o que é melhor para si. Em vista disto, o próprio paciente faz suas escolhas e se responsabiliza por estas.

 

Caso você tenha se identificado com algum item acima, seria interessante procurar um psicólogo.

“Ter uma consulta psicológica não é o mesmo que conversar com um amigo”

Além de ter qualificação teórico-técnica, o psicólogo se orienta de acordo com os pressupostos do código de ética profissional, observando e respeitando as normas e regras deontológicas que regulam a profissão, tendo como premissa básica a seriedade, a pontualidade, o respeito e o profissionalismo que balizam o fazer psicológico.

Através de técnicas especificas, o cliente ou paciente resolve a problemática ou queixa que o levou a procurar um profissional da Psicologia, além de proporcionar e viabilizar uma melhor compreensão e percepção de si mesmo e do mundo que o cerca, promovendo seu autoconhecimento e crescimento em todas as esferas da vida, desenvolvendo a própria autonomia e auto estima, e portanto favorecendo mudanças positivas em sua vida.

 

 

Compartilhar
Soraya Rodrigues de Aragão
Dinâmica de Grupos (LDG), capacitação em Prevenção ao uso de Drogas pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), é Sócia da Sociedade Italiana de Neuropsicofarmacologia e membro da Sociedade Italiana de Neuropsicologia. Desenvolveu o projeto intitulado: “Consultoria Estratégica em Avaliação Emocional”.



COMENTÁRIOS