Existem muitas pessoas que passam pelo problema de querer agradar a todos, e quando percebem que não é bem assim sofrem em demasia. O ser humano é extremamente complexo em sua totalidade, e achar que se pode agradar a todos é, no mínimo, uma visão bastante infantil da vida.

Eu sempre gosto de buscar o equilíbrio em tudo o que faço. Não ser nem demais e nem de menos. Eu procuro cultivar a simpatia, mas também não saio por aí com aquele sorriso Colgate, rindo o tempo todo. Procuro ser educado, mas sei que em determinadas situações eu preciso usar palavras duras, porque são situações que exigem isso de mim. Procuro ajudar as pessoas no que é possível e sei que está ao meu alcance, mas quando sei que a ajuda que pedem de mim eu não posso ajudar, não fico querendo dar uma de super-homem, não. Se eu sei que não posso ajudar eu falo, “me desculpe, mas não posso ajudar”. Simples. São pequenas coisas, mas que muitos têm uma enorme dificuldade, exatamente porque sofrem do problema de querer agradar a todos.

Existe uma coisa que aprendi na vida que determina completamente o fato de agradar a uns e desagradar a outros. Chama-se, OPINIÃO FORMADA. Gosto de associar a ideia de opinião formada com as demonstrações da matemática. Em muitas delas o final da demonstração vem com a célebre frase: “a condição necessária e suficiente para tal tal tal é…”, ou seja, a condição necessária e suficiente para você não agradar a todos é tendo uma opinião formada sobre um assunto. Pode ser o que for, hábitos alimentares, religião, roupas, leituras, preferências, política, esportes. Sempre vai haver pessoas que discordarão de você. É natural isso. Não precisa ficar se martirizando por isso. Nós devemos criar uma espécie de “indiferença” a isso. É assim. Se o que você pensa é um ideal, ou seja, é algo que você realmente valoriza. Não precisa ficar sofrendo porque outra pessoa não pensa o mesmo. Deixe-a viver, e pensar da maneira que bem entender.

Eu acredito que a melhor forma de evitar aborrecimento com relação ao agradar a todos é buscar não ser rígido demais com as suas convicções, estar sempre aberto a diferentes pontos de vista, sem julgamentos, sem achar que a outra pessoa está errada, não. A outra pessoa não está errada, ela só pensa diferente de você. O que garante que não é você mesmo que está pensando de forma equivocada sobre determinado assunto? Pense sobre isso…

Além disso, o que pode ajudar a agradar o maior número de pessoas é estar sempre aberto a ouvir. Todos se sentem bem quando querem falar e tem uma pessoa que lhe dá atenção. Você adquirindo e cultivando o hábito de ouvir as pessoas sem ficar “dando pitaco” o tempo todo, vai fazer, com certeza, você se tornar alguém mais agradável.

Sabe de uma coisa que está por trás de praticamente todas as pessoas que sofrem do problema de querer agradar a todos? Isso pode até parecer estranho para uns, mas tem muito sentido e fundamento. O RECONHECIMENTO e a APROVAÇÃO. O ser humano é, por natureza, um ser que espera o reconhecimento e aprovação em tudo que faz. Porém, os que querem agradar a todos fazem isso de uma forma muito sofrida e às vezes até doentia. Elas querem passar para os outros aquela imagem de santo ou santa, de despojamento total, de grande espiritualidade, mas será que é assim mesmo?

É aí que está a questão da aprovação. Inclusive, para aquelas pessoas mais religiosas, tentar agradar a todos é como se fosse um prêmio de Deus para alcançar a salvação. Espero não ser tão ríspido com os leitores, mas pensar assim é de uma ingenuidade sem tamanho. Porque o que vai acontecer na realidade da vida da pessoa que pensa dessa forma é ser massacrada por aproveitadores. Existem muitas pessoas que, vendo alguém mais religioso e que ajuda os outros com esse pensamento de que é para alcançar a salvação, se aproveitam e “sugam o seu sangue” até a última gota. Sinceramente, eu não acho que se deve agir assim. Isso é falta de autoestima disfarçada de religiosidade.

O risco de querer agradar a todos tem uma profunda ligação com a AUTOESTIMA. Sabe quem foi a pessoa com a maior autoestima que já passou pela terra? Ela se chama Jesus Cristo. Vou explicar por que. Ele era um homem tão sábio que tinha a consciência que não agradaria a todos. O que Jesus disse aos seus apóstolos quando os mandou em missão para evangelizar no mundo? Disse para agradecer onde fossem bem recebidos, orar abençoando este local e sacudir a poeira das sandálias quando não fossem bem recebidos, como um sinal de repúdio por este local. Será que Jesus estava querendo agradar a todos falando assim? Lógico que não.

Essas palavras são de uma sabedoria universal e impressionante. Agora vejam outras coisas que ele disse: “Venham até mim todos vós que estais cansados e fatigados que eu vos aliviarei…” ou “quem beber da água que eu ofereço nunca mais terá sede…”. Eu fico arrepiado com essas palavras. Só alguém com uma autoestima estratosférica pode ser capaz de pronunciar tais palavras. O que eu quero recomendar a todos é: prestem muita atenção nas palavras de Jesus. Ele é o maior exemplo que se pode ser seguido. Eu posso garantir que se você entender bem a sua mensagem e missão na terra, nunca mais irá sofrer do problema de querer agradar a todos.

Jesus fala para a Samaritana que é a água da vida…

Esse é um assunto bastante amplo e complexo. Com certeza há muito que falar sobre ele. Para quem quiser se aprofundar, existe muita informação disponível na internet. Eu vou deixar um artigo de um terapeuta muito bom chamado André Lima. Leia! Ele aborda esse tema com bem mais profundidade que eu, vale a pena conferir:  Link

Imagem de capa: Shutterstock/Olena Zaskochenko

 

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.

COMENTÁRIOS