Obesidade e Reabilitação Contínua

Por Soraya Oliveira, Psicóloga Clínica

A obesidade é uma doença universal de prevalência crescente, com proporções epidêmicas, representando um grave problema de saúde pública da sociedade contemporânea, tendo em vista sua dificuldade de controle e o elevado índice de recidiva, causando prejuízos nas dimensões físicas e psicossociais dos indivíduos, além de trazer impacto econômico em serviços de saúde pelas co-morbidades associadas a ela. Por ser multifatorial resultante da interação de fatores genéticos, metabólicos, sociais, comportamentais e culturais, ocasiona forte impacto na saúde, no bem-estar psicológico e principalmente na qualidade de vida.

O declínio na qualidade de vida é mais acentuado nos obesos que não seguem tratamento para perda de peso, não aderem a uma atividade física ou a qualquer tipo de tratamento proposto por especialistas. As consequências para a saúde são muitas e variam do risco aumentado de morte prematura a graves doenças às vezes debilitantes, afetando a saúde mental causando estresse, ansiedade, depressão, baixa auto-estima, compulsão alimentar, isolamento social, alcoolismo entre várias outras.

O tratamento convencional com orientação dietética, programação de atividade física, usa de fármacos e acompanhamento psicológico continua produzindo bons resultados dependendo do grau da obesidade, mas a indicação de cirurgia bariátrica vem tornando-se mais frequente devido à dificuldade da abordagem clinica de obesos graves; sinalizando a direção cirúrgica terapêutica atual para uma possível solução definitiva. O resultado cirúrgico esta interligado com a adesão do paciente ao tratamento proposto pela equipe multidisciplinar que agirá integralmente individualizando suas características, tratamento e acompanhamento, ciente de suas particularidades e riscos.

Os cuidados multidisciplinares associam – se a um adequado resultado do tratamento e incluem os cuidados pré – operatórios e pós – operatórios com abordagem multidisciplinar de fonoaudiólogos com treino de mastigação, fisioterapia com treino respiratório e condicionamento físico, orientação nutricional e em se tratando de abordagem psicológica, o psicólogo nesse processo vai trabalhar as particularidades do indivíduo, auxiliá-lo quanto á compreensão de todos os aspectos decorrentes do pré-cirúrgico, avaliá-lo quanto aos seus conhecimentos sobre o procedimento, riscos e complicações, benefícios esperados, consequências emocionais, sociais e físicas e responsabilidades esperadas, esclarecendo ao paciente que será um processo de perdas e ganhos, inclusive em sua imagem corporal; que não necessariamente será a esperada, podendo ser motivo para proposta de cirurgias plásticas no futuro, o que poderá ocasionar questões emocionais ligadas aos distúrbios de imagem corporal.

Ou seja, a reabilitação deve ser contínua, e deve ser entendida como a importância de uma equipe com formação qualificada, experiente e muito bem treinada. A obesidade é uma doença reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e deve ser tratada com rigor por ser desencadeadora de várias patologias.




COMENTÁRIOS