Orientação Psicológica na Gravidez

Quando uma mulher descobre que está grávida ela passa por um processo de mudanças, daqui para frente tudo em sua vida será diferente. Por natureza, as grávidas são bem ansiosas, pois serão nove meses de espera para poder pegar no colo seu tão aguardado bebê.

Vivências emocionais intensas, novas atitudes e responsabilidades, ansiedades e preocupações, são alguns dos sentimentos que ocorrem durante esta fase, sendo fundamental compartilhar e esclarecer eventuais dúvidas e inseguranças que irão surgir para que esses medos não se tornem problemas graves nesse momento especial.

Assim como o pré-natal, a preparação psicológica durante a gestação é muito importante, pois possibilita que está futura mamãe tenha uma vivência mais equilibrada e que consiga lidar com as emoções e alterações deste período, contribuindo significativamente na saúde mental da mulher e até do bebê.

Vários temas podem causar preocupação e dúvidas. Os mais comuns deles são: Aborto espontâneo, sexo na gravidez, enjoos, nascer com alguma deficiência, as dores do parto, mudanças físicas e ser uma boa mãe.

  • Aborto Espontâneo

Após a confirmação da gravidez, muitas mulheres ficam preocupadas e com medo de sofrer um aborto espontâneo. Isso pode acontecer principalmente durante os três primeiros meses de gestação e é um dos motivos pelo qual algumas gestantes demoram para contar a notícia. É durante o primeiro trimestre que o risco de aborto é maior. Mas nada de pânico, realizando o pré-natal e com as recomendações do seu médico a maioria das gestações segue até o final.

  • Sexo na gravidez

O sexo na gravidez é uma dúvida frequente, é bastante comum o casal ficar com medo mesmo com o médico dizendo que não há nenhuma restrição. A relação sexual geralmente é liberada na gestação, apenas alguns casos podem oferecer riscos, como por exemplo quando ocorre uma dilatação antes do esperado ou sangramento com riscos de aborto. Por isso é importante sempre consultar seu médico e tirar suas dúvidas.

  • Enjoos

Os enjoos podem aparecer antes mesmo da futura mãe descobrir que está grávida. Porém, após a confirmação muitas mulheres ficam preocupadas e com medo de que o bebê não esteja se nutrindo da forma adequada. Mas não se preocupem, pois, a quantidade de nutrientes que o bebê precisa neste período é pequena, consulte sempre a opinião do seu médico para saber como a gestação está evoluindo.

  • Nascer com alguma deficiência

O medo de que o bebê nasça com alguma deficiência é muito comum nas grávidas. Este medo é natural, pois todos querem ter um filho perfeito e saudável. Por isso, é importante fazer o pré-natal e realizar os exames de rotina, como o ultrassom, para amenizar tal ansiedade.

  • As dores do parto

Sempre ouvimos falar que nossas avós e mães sofreram para dar à luz, isso também é retratado em novelas e filmes. Por mais que hoje em dia exista anestesia, o medo da dor do parto é inevitável entre as grávidas. É importante não pensar e criar tanta expectativa (o que é praticamente impossível), procure seu psicólogo para te ajudar neste momento.

  • Mudanças físicas

Durante os nove meses várias mudanças irão ocorrer no corpo da mulher e uma das preocupações é se vão conseguir eliminar os quilos extras ganhos durante a gravidez. Ninguém precisa se sentir egoísta por isso, o medo de não recuperar o corpo anterior é normal. Após a gravidez leva um tempo para voltar a velha forma física, tudo tem o seu tempo. Mamãe você não precisa comer por dois. Portanto, tente engordar apenas o que é recomendado durante a gestação.

  • Ser uma boa Mãe

Ser uma boa mãe é um desejo universal e que pode trazer ansiedade para a futura mãe, mas se a preocupação existe, já é um sinal de que será uma boa mãe. Amor, carinho e atenção é o essencial na vida de uma criança. São esses sentimentos que fazem de você uma boa mãe. Já as tarefas práticas o tempo ensina a administrar.

Compartilhar
Jenifer Longo
Jenifer Longo é Psicóloga Clínica e Especialista em Psicologia Organizacional.



COMENTÁRIOS