Os pensamentos ruminantes são aqueles responsáveis por nos levar até a extrema preocupação, que culmina em ansiedade. Mas, por que isso ocorre?

Algumas pessoas, geralmente, dão costumam analisar demais que lhes acontece. Pensam no que falaram, no que aconteceu, no quão bom foi ou não…cNão obstante, estes pensamentos ruminantes não apenas se concentram no passado, como também no futuro. Um futuro desconhecido onde as suposições, as dúvidas e as crenças negativas se fazem presentes.

Pensamentos ruminantes e más interpretações

Os pensamentos ruminantes nos fazem chegar a conclusões bastante erradas.   Pois, aquilo com o qual estamos preocupados está gravemente influenciado por medos, carências, necessidades e uma série de pobrezas que residem em nós mesmos.

Se precisamos de outros para sermos felizes, para nos sentirmos capazes e necessários, então esses pensamentos ruminantes ecoarão em nossas cabeças. Sempre nos concentramos nos outros, no que pensarão, se gostam de nós. Porém, onde a gente fica? Onde reside nossa própria opinião?

A baixa autoestima vem de uma insegurança que nos afeta em todos os níveis de nossa vida. Esta provoca conflitos, sentimentos de culpabilidade e ideias equivocadas que nos fazem duvidar de tudo e de todos. Esta situação provoca algo que não queremos: a rejeição dos outros. É que nos focamos tanto no resto das pessoas que, qualquer coisa mínima que acontece, sentimos como uma decepção, uma mentira, uma deslealdade.

Não obstante, somos nós que nos decepcionamos conosco mesmos.

Os pensamentos ruminantes podem lhe matar

Os pensamentos ruminantes são como o cão que morde o próprio rabo. Parece que não há um fim, que não há uma saída possível. De fato, as pessoas que padecem deste tipo de pensamentos carecem de uma habilidade essencial: a bravura de tomar decisões.

O fato de não dizer o que pensam ou de não fazer o que querem porque sabem que isso terá diversas consequências, faz com que se refugiem nesses pensamentos que as consomem por dentro. Pouco a pouco a ansiedade vai ecoando, vai aparecendo em cada situação e levará mais esforço controlá-la.

Se não parar a tempo, se você mesmo não compreender que há um problema a resolver, a bola irá gradualmente se tornar maior e pode até levar a uma profunda depressão. As pessoas que sofrem de pensamentos ruminantes se autossabotam de forma constante, machucam sua autoestima, não acreditam ser suficientemente boas…

Estão tão desconectadas delas mesmas que precisam dos demais para se sentir “conectadas”. No entanto, isso jamais será uma solução, mas um agravante de um problema que querem evitar.

Hora de dizer “adeus” às obsessões

Os pensamentos ruminantes não são mais que obsessões por um tema ou uma situação, que provocará com que façamos coisas das quais depois nos arrependeremos. 

Por exemplo, se temos dúvidas e em nossa mente há vários pensamentos que nos instigam a pensar que nosso parceiro é infiel, a ansiedade se apoderará de nós.

Desta forma, começaremos a controlar a hora em que este se conecta nas redes sociais; o quanto se lembra de nós. Tudo o que “descobrirmos” alimentará essas crenças que temos e, que se tornaram tão obsessivas, que nos levarão a fazer coisas que não fazem parte de nossos valores.

Por isso, é importante não nos contorcermos nesta maré de pensamentos, muitos dos quais não têm razão de ser e nascem fruto de uma insegurança nossa.

Devemos aprender a vê-los sem julgá-los, sem tentar indagar o motivo; simplesmente vê-los e deixá-los ir embora.

Quando retemos esses pensamentos é quando começamos a ruminá-los, e estes se tornam obsessões.

Imagem de capa: Shutterstock/Sergey Mironov

TEXTO ORIGINAL DE MELHOR COM SAÚDE

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS