Por que algumas pessoas têm dificuldade em dizer não?

Uma sílaba. Três letras. Uma palavra quase que insignificante tamanho o uso que é feito no dia a dia. Ela sai da boca de qualquer pessoa. Será provavelmente uma das primeiras palavras que um bebê irá ouvir e aprender a falar. No entanto, algumas pessoas preferem passar uma temporada no deserto Saara sem uma gota de água para beber do que preferir está palavra. Para estas pessoas , falarem não pode ser uma verdadeira tortura.

Mas por que algumas pessoas não conseguem falar não? Um amigo uma vez me disse que acha que algumas pessoas têm uma “nãofobia”, tamanho é o medo e a dificuldade em falar não.

Algumas pessoas não conseguem falar não porque tem medo de enfrentarem conflito.

Dizer não, quase sempre traz algum desconforto, seja para a pessoa que está falando ou para o receptor, o que pode acabar gerando um conflito. Já tentou falar não para alguém mimado?  Algumas pessoas têm uma dificuldade tão grande em lidar com estas situações de conflito que preferem falar sim para tudo e com isto evitam o enfrentamento da situação. Além de ser desgastante , isto traz um enorme prejuízo , não só para quem fala, pois acaba fugindo de situação que precisa ser enfrentadas e para quem ouve, pois esta pessoa irá ter sempre sua vontade feita, o que em um mundo real é impossível de acontecer.

 Algumas pessoas não conseguem falar não porque não querem perder o ” status de boazinha”

Alguém certa vez escreveu sobre a síndrome de boazinha. Tal síndrome é caracterizada justamente pelo indivíduo , geralmente mulher, que faz tudo, eu disse tudo e mais um pouco, para agradar o outro . Mas o grande detalhe da pessoa que tem síndrome de boazinha, é que ao fazer tudo pelo outro, ela acaba se anulando pois se esquece completamente dos seus desejos e vontades. Ela literalmente precisa ser a pessoa “boa” e portanto não consegue lidar com a simples possibilidade do outro pensar que ela não é assim. Aí que entra a sua dificuldade do não. É impossível para esta pessoa falar não, pois com o não ela contraria o desejo ou a vontade do outro, e como ela pode ser perfeitamente boa se ela nega algo ao outro? Se ela não for tratada ela pode chegar à beira do esgotamento emocional.

Algumas pessoas não conseguem falar não porque simplesmente não aprenderam que podem ter vontade.

Estas pessoas são aquelas que não falam não porque simplesmente não lhe ensinaram a falar não. Geralmente são pessoas submissas, que fazem a vontade do outro. São filhos de pais autoritários, cresceram em lares disfuncionais , onde não tinha diálogo entre a família e a ordem do mais velho ou do pai sempre imperava. São pessoa sem vontade, sem desejo. São geralmente pessoas tristes que precisam apenas aprender que podem ter uma voz , e mais do que isto, tem o direito de falar. Estas pessoas geralmente conseguem falar o tão sonhado não depois que já explodem emocionalmente. Chegam ao seu limite e então conseguem falar não e quando conseguem, geralmente vem carregado de culpa e a pessoa precisa entender que não há nada de errado em ter vontade e em falar não.

Algumas pessoas não conseguem falar não porque não sabem o que querem.

Este é o grupo de pessoas mais indeciso. Falar não para eles deveria ser uma coisa simples mas não o é porque o conflito aqui está na falta de conhecimento pessoal. É o chamado “Maria vai com as outras.” Como a pessoa não se conhece, não sabe do gosta ela acaba falando sim para todos e para tudo. Repare aqui que o problema não é o não em si, mas a falta de autoconhecimento o que acaba gerando uma pessoa neutra, sem personalidade, e portanto sem palavra ativa. Esta pessoa talvez seja a mais fácil a aprender a falar não, e ao mesmo tempo de forma contraditória a mais difícil. Isto porque se conhecer quase sempre é um processo doloroso, onde temos que lidar com nossas imperfeições , dúvidas e medos, e estas pessoas simplesmente se acostumam a ser como o grupo. São quase camaleões sociais. Entretanto, quando chegam no final da vida se arrependem porque o vazio existencial que fica é grande.

E finalmente temos o grupo de pessoas que não conseguem falar não porque não querem assumir responsabilidade por suas ações e por sua vida.

Estas pessoas têm uma enorme dificuldade em falar não. Mas estas pessoas são contraditórias com elas mesmas. Elas falam “não” quando é conveniente e “sim” quando é mais conveniente ainda. Elas seguem o ritmo do grupo. Quanto mais neutro possível, melhor. Muitas vezes estas pessoas não decidem , ou seja, não falam nem que sim, nem que não, pois qualquer resposta pode gerar uma responsabilidade que elas não estão dispostas a assumir. Estas pessoas com o tempo deixam de ser consultadas. Nos relacionamentos é a pessoa que vai na onda, não tem opinião. São pessoas mornas e dificilmente formam vínculos profundos ou então se tornam marionete nas mãos das pessoas. Mas diferentemente das pessoas que não sabem o que querem e fazem o que os outros querem, estas pessoas culpam os outros quando algo está ou dá errado. Elas são do tipo que não conseguem falar, se impor e quando alguém o faz as culpam pelas consequências.

Compartilhar
Debora Mendes de Oliveira
CRP: 06/123470. Psicóloga clínica (UNIP 2014), com ênfase psicanalítica, com experiência em atendimento voltado para abuso sexual, transtornos psiquiátricos tais como depressão e ansiedade, compulsão por internet e compulsão alimentar. Nas horas vagas é escritora por diversão.



COMENTÁRIOS