O medo é, acima de tudo, um sentimento com intenção de proteção, tanto que quando bem equilibrado, contribui para o bem-estar e sobrevivência. Mas, por ser uma emoção forte, muitas vezes pode ser difícil ficar diante de um objeto ou situação que causa medo, o que gera um mal-estar muito grande. Com isso, é natural ficarmos bem longe de tudo e todos que nos estimulam essa emoção.

Isso acontece, inclusive, com as pessoas sentem medo de amar e se entregar a uma relação mais profunda. A cumplicidade e o vínculo, para alguns, é algo terrível e assustador até mesmo de se imaginar. Esse tipo de sentimento gera desgaste e frustração.

Não querer se relacionar pode ser uma opção consciente. Mas há aqueles que querem e não conseguem e com isso vem a tristeza, mais medo e desencontros.

O medo pode ter nascido de uma relação malsucedida e traumática do passado, isso infelizmente, pode ocorrer em qualquer idade e com qualquer pessoa. Quando se viveu muitos relacionamentos mal encaixados e de baixa qualidade esse mal-estar pode aumentar e assustar ainda mais, pois a pessoa pode, erroneamente, achar que ?nunca? vai conseguir ter um bom relacionamento afetivo. Esse tipo de crença piora a autoestima e machuca o emocional de quem vive assim.

  • Não ser amado de volta
  • Ter alguém que sufoque e não permita a vida de escolhas do outro
  • Ser responsável pelo outro (ter que cuidar e não dar conta)
  • Enfrentar mudanças no estilo de vida, sair da zona de conforto e possível dificuldade de adaptação
  • Sentir medo da traição
  • Temer não resistir a tentações e trair
  • Conviver com pressão familiar e dificuldade de adaptação de todos
  • Antever privação das amizades
  • Dividir a atenção entre o amor e trabalho e/ou estudo (ou mesmo outros objetivos individuais)
  • Sentir timidez, ter que se expor ou se abrir para alguém
  • Assumir um relacionamento para constituir uma família e filhos.

O que fazer quando se sente medo de amar?

Quem sente medo de amar, de se relacionar, de ter um companheiro (a), de assumir uma relação precisa fazer uma autoanálise para poder entender o que está por trás dessa emoção. Não é só uma questão de não se deixar abater pelo medo ou enfrentar sem preparo. É preciso uma consciência maior do que está havendo. Deixar de viver uma vida plena por medo, insegurança e dúvidas é muito limitante. O maior prazer da vida é poder ter liberdade de escolha. Ser capaz de ser inteiro e contribuir para o bem-estar pessoal e do outro em uma relação íntima de aprendizado, ensinamento e troca é muito gratificante.

O processo de cura e melhoraria através da psicoterapia é indicado para:

  • Autoconhecimento
  • Compreensão das emoções
  • Mudança de estilo de pensamento (se necessário)
  • Superação de crenças negativas
  • Fortalecimento da autoestima
  • Cura do medo.

O tratamento é direcionado para a compreensão e cura da base, do que permeia o medo. As técnicas usadas podem ser de cura de trauma, aprendizado de comunicação, estimulação da capacidade de se expor e criar vínculos com os outros. São muito bem indicados os tratamentos com uso de técnicas de PNL, Novo Código da PNL, EMDR, Coaching de Vida e Terapia Breve, pois são excelentes para o bem estar, qualidade de vida e força emocional.

Imagem de capa: Shutterstock/pecaphoto77

TEXTO ORIGINAL DE MINHA VIDA

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS