Por Amanda Mont’Alvão Veloso

Kurt Vonnegut disse certa vez que fazer qualquer tipo de arte – mesmo que o resultado seja ruim – faz crescer a alma.

“Faça arte”, aconselhou ele, sabiamente.

Os psicólogos agora chegaram a uma conclusão semelhante. Segundo um novo estudo de pesquisadores neozelandeses, envolver-se em atividades criativas contribui para uma “espiral positiva” de emoções, bem estar psicológico e sentimentos de progresso na vida.

Isso não é boa notícia apenas para quem trabalha com ocupações criativas. Quem consegue separar um tempo para hobbies criativos e projetos paralelos como escrever um diário, desenhar ou aprender a tocar violão pode ter os mesmo benefícios.

Para o estudo, publicado em 17 de novembro no Journal of Positive Psychology, 658 voluntários escreveram um diário durante 13 dias, avaliando sua criatividade durante o dia e descrevendo seu humor.

A criatividade foi definida como ter novas ideias, expressar-se de maneira original ou passar tempo envolvido em atividades artísticas.

Todos os dias, os participantes do estudo também avaliam se estavam sentido “progresso” – definido pelos pesquisadores como crescimento pessoal positivo –, analisando coisas como o envolvimento em atividades diárias e a recompensa sentida em interações sociais.

Um padrão claro surgiu nos diários. Imediatamente depois de se sentir mais criativos, os participantes do estudo descreveram sensações de entusiasmo e energia.

“O resultado sugere um tipo particular de espiral positiva para o bem estar e a criatividade”, disse em um comunicado de imprensa Tamlin Conner, psicóloga da Universidade de Otago, da Nova Zelândia, e autora principal do estudo.

“A criatividade leva a aumento do bem estar no dia seguinte, e é provável que esse bem estar facilite atividades criativas no mesmo dia.”

Criar e se expressar nos dá uma sensação de propósito, segundo Tony Wagner, pesquisador sênior da Universidade Harvard e autor de Creating Innovators: The Making of Young People Who Will Change the World (criando inovadores: a formação de jovens que vão mudar o mundo, em tradução livre).

A criatividade também pode ajudar a reduzir o estresse e a ansiedade, aumentar a resiliência e contribuir para um senso de diversão e curiosidade. Envolver em atividades criativas e artísticas também foi associado a uma melhoria da saúde física e mental.

Mas, se você não se considera um “artista”, não se preocupe. Você não precisa de talentos criativos para se beneficiar das atividades criativas. Experimentar com uma nova receita para o jantar ou criar um board novo no Pinterest podem ser suficiente.

Como concluem os autores do estudo, “encontrar maneiras de incentivar atividades criativas diárias, não só obras-primas artísticas, pode levar a um aumento do bem estar.”

Imagem de capa: Shutterstock/Photo smile

TEXTO ORIGINAL DE BRASILPOST

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS