Presentificação

O momento presente abrange entre 1 e 10 segundos, com uma duração média de 3 a 4. Em condições especiais, podem ser contínuos e durarem mais de 10s, como em estados meditativos, ou num processo musical, onde temos vários momentos presentes aglomerados.

Consiste na experiência sentida do que acontece durante um breve período de consciência. O fluxo da nossa consciência se assemelha ao percurso de um pássaro, alternando voos e pousos. Quando pousamos, adentramos ao momento presente, que são incrivelmente ricos; mas para pousarmos, precisamos dos voos, eles possibilitam um período de exposição para que os eventos aflorem à consciência.

A rememoração do passado não consegue nos tirar totalmente do momento presente, porém nos deixa menos disponíveis e influencia a construção dele; assim como, o momento presente também determina a forma do passado que é trazida para o presente, e o mesmo denota-se com os contornos do que vem depois, do futuro imaginado.

Como bem afirmou Gilberto Gil: “O melhor lugar do mundo é aqui e agora”. Vivemos de um momento presente a outro; e o presente tem sempre um quê de novidade ou nos chama para a resolução de um problema. Momentos presentes se formam em torno de eventos que rompem a banalidade ou que violam o funcionamento regular, ordinário, se tornando extraordinário; com isso, cada momento presente é único e próprio de quem experiencia.

Dada as suas magnitudes, existe um amplo espectro de momentos presentes, desde o mais raro, que muda o curso de uma vida, ao mais banal, aquele que podemos rastrear e que vão compondo as peças de nossa experiência em andamento, trazendo mudanças mais contenciosas, porém não menos relevantes. Por mais regular que seja um momento presente, ele nunca pode ser previsto totalmente, o que o torna tão excitante ou ameaçador, a depender da perspectiva adotada pelo experienciador.

São nessas experiências dos momentos presentes que vamos formando as nossas subjetividades, nos definindo e a nossa história de vida; daí a necessidade de nos atentarmos para a receptividade e a acomodação do que nos é apresentado de instante a instante.

Compartilhar
Luciana Leite
Psicóloga clínica especialista em Gestalt-terapia, terapeuta em Emdr e Brainspotting, extensão em psicologia de grupos e oficinas.



COMENTÁRIOS