Lendo a frase de Martha Medeiros, observei que a mesma contém elementos que falam da nossa busca constante pela auto-realização.

“Eu, você e todos nós estamos a procura de algo que ainda não experimentamos, algo que a gente supõe que exista e que nos fará mais felizes ou menos infelizes.” (Martha Medeiros)

Esse movimento acontece em qualquer pessoa mentalmente saudável e pode ser compreendido a partir do conceito de figura-fundo da Gestalt-terapia. Onde, num processo alternante, o individuo passa a priorizar a satisfação das suas necessidades, como uma figura emergente, sem perceber aquilo que está por trás, o fundo. Toda vez que a ação é realizada e alcançada a satisfação, esta deixa de ser figura, dando lugar a outra necessidade ou “figura”, que antes era fundo, emergir. Assim, quando o indivíduo experiencia esse movimento de necessidades e realizações , ele estará se auto-realizando continuamente.

Pedro Leite

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Pedro Leite
* Graduado em Psicologia pela FAESA-ES; * Pós-Graduado em Gestalt-terapia Clínica PELA MULTIVIX-ES; * Pós-Graduado em Terapia Cognitivo Comportamental pela UNIARA-SP.

COMENTÁRIOS