O tempo com sua divisão por ciclos, 365/366 dias, traz uma sensação de tranquilidade. Em vez de pensarmos que não temos controle de nada, fica a ideia que tudo começa outra vez. Enxergar o tempo com começo, meio e fim ameniza a angústia e alimenta as esperanças de renovação.  Não em vão as pessoas comem uvas, romãs, pulam ondas, vestem-se de branco e fazem outras cositas más esperando um ano melhor.

Nas palavras de Carlos Drummond, no poema Receita de Ano Novo, “Para você ganhar belíssimo Ano Novo (…) Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta (…) Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre”.

O ano novo está nas ações e escolhas. Mas, o cérebro, às vezes, pode pregar algumas peças. Ele nos faz acreditar que tudo pode melhorar sem fazermos absolutamente nada, ou quase nada – como só fazendo uma bela lista de promessas para o próximo ano. Se você não quer ser um acumulador de promessas não crie afirmações antes das interrogações. É fácil elaborar uma lista de coisas almejadas para o ano novo, difícil é colocá-las em prática.  Por isso, pergunte-se: PRA QUÊ?

Antes de colocar na sua lista “economizar dinheiro”, questione-se: pra que economizar dinheiro? Economizar por economizar tem menos força do que economizar para realizar um sonho. Primeiro é preciso encontrar em você o sentido daquilo que se compromete a fazer. Refletir sobre os “pra quês?” (Pra que emagrecer? Pra que ter mais tempo com a família? Pra que fazer academia? Pra que viajar?) faz pensar, motiva e além disso, faz deparar-se com o “como?”. Como fazer para cumprir uma promessa?

O ano novo que você espera está nas escolhas e decisões que você fará, portanto olhe para dentro de si, identifique as habilidades que têm e as habilidades que precisará adquirir, identifique seus objetivos, defina cada passo, planeje e mantenha o foco naquilo que quer realizar. Sobretudo, se aproprie da autorresponsabilidade. Pois, para ganhar um Ano Novo, meu caro, tem de fazê-lo novo!

Imagem de capa: Shutterstock/MIA Studio

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Angelica Neris
Olá, sou psicóloga e professora de língua espanhola. Trabalho como psicoterapeuta de casais, famílias, indivíduos e grupos, além da psicoterapia atuo em projetos de saúde laboral, psicologia do esporte e do exercício e orientação profissional.

COMENTÁRIOS