Psicólogos de Harvard conectam estado de infelicidade à divagação mental

Você sabia que a distração mental é o melhor medidor de infelicidade? É o que diz uma pesquisa desenvolvida pelos psicólogos da Universidade de Harvard, Matthew A. Killingsworth e Daniel T. Gilbert. Os pesquisadores constataram que a distração mental é o melhor medidor de infelicidade. O estudo foi feito com 5 mil pessoas usando um aplicativo de iPhone que mede a quantidade de vezes que uma pessoa se encontra distraída durante o dia. A psicóloga clínica Silvana Frassetto concorda com a afirmação dos pesquisadores, de que “nossas vidas mentais são permeadas em um nível impressionante pelo que não está presente”. O estudo mostra que a natureza das atividades que as pessoas estavam fazendo tinha pouco impacto na motivação para as suas mentes divagarem. Além disso, a natureza das atividades dessas pessoas tinha pouco impacto nos assuntos pelos quais as mentes dessas pessoas se sentiam atraídas para divagar.

Isso significa, que qualquer que seja a atividade que você está realizando, se sua mente se distrai e vai para outro lugar, as chances de você estar mais infeliz nessa divagação são maiores – independente se sua mente está pensando em algo melhor (“uma imagem bonita”) ou pior (“pagar as contas”). A pesquisa também mostra que apesar das mentes terem mais probabilidade de divagar para assuntos prazerosos (42.5% das amostras) do que para os assuntos não-prazerosos (26.5%) ou neutros (31%), as pessoas não estavam mais felizes pensando nos assuntos mais prazerosos do que realizando suas atividades atuais. Isso significa que a frequência com que nossas mentes abandonam o presente e o lugar para onde elas tendem a ir pode indicar mais sobre nossa felicidade do que as atividades que nós estamos fazendo.

Bibliografia:

Does Mind-Wandering Make You Unhappy?

By Matt Killingsworth | July 16, 2013

When are we happiest? When we stay in the moment, says researcher Matt Killingsworth.

Link: http://bit.ly/1rl7pHN

Compartilhar
Dra Silvana Frassetto
Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental pela WP (Wainer Psicologia Cognitiva) – Centro de Excelência em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental no Brasil. Doutora em Bioquímica com Ênfase em Neurociência (UFRGS). Formação em Terapia dos Esquemas pela WP e NYC – Institute for Schema Therapy. Tutor qualificado COGMED – Treinamento de atenção e memória de trabalho (operacional). Supervisão Clínica Professora do Curso de Psicologia da ULBRA – Canoas. Professora do Curso de Especialização em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental do Instituto WP em vários Estados do Brasil. Professora da Wainer Psicologia Cognitiva. Professora do Curso de Especialização em Neuropsicologia da PROJECTO. Professora do Curso de Especialização em Psiquiatria do Instituto Abuchaim. Membro da Federação Brasileira de Terapias Cognitivas – FBTC.



COMENTÁRIOS